Uma delegação de atletas pertencentes ao Comitê Olímpico Russo enviou uma carta ao presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, solicitando auxílio na defesa dos competidores “limpos” daquele país, ou seja, dos competidores que nunca foram pegos em exames antidoping, para que sejam liberados e possam participar das Olimpíadas do Rio de Janeiro.

A Rússia foi suspensa do atletismo internacional em novembro pela IAAF (International Association of Athletics Federations, ou Associação Internacional de Federações de Atletismo), após um relatório da Agência Mundial Antidoping (AMA) alegar doping generalizado em atletas do país, patrocinado pelo próprio Estado.

Publicidade
Publicidade

A carta foi enviada apenas dois dias antes da decisão final sobre se a Rússia deve ou não voltar a participar de competições internacionais, em uma reunião do conselho da IAAF que acontecerá em Viena, na Áustria, na sexta-feira (17).

Punição somente para atletas que praticam doping

Na carta enviada a Thomas Bach, a comissão russa pede que o presidente do COI e a própria organização como um todo tomem uma atitude humanitária em relação aos atletas limpos, cujos destinos estão em jogo, e que a decisão seja equilibrada e sensata. Além disso, o texto ressalta que proibir totalmente a Rússia de competir nos Jogos do Rio seria uma punição coletiva pelos erros de uma minoria – minoria esta que realmente afeta negativamente todo o sistema de valores olímpicos, causando danos irreparáveis ​​ao desenvolvimento do esporte na Rússia.

Publicidade

A carta afirma ainda que, a fim de ser autorizada a competir, a equipe de atletismo russa passaria por testes extras para detecção de substâncias ilegais, e que atletas pegos em exames antidoping não seriam mais selecionados para competições. Por fim, os russos afirmam que, como resultado dessas medidas, seria garantido que seus atletas que querem participar das Olimpíadas estariam limpos, e que nenhum deles é suspeito de usar ou já ter usado substâncias ilegais.

A comissão que elaborou a carta é composta por 13 atletas russos, a maioria aposentada. Oito são medalhistas de ouro olímpicos, e dois já enfrentaram acusações de doping. O COI tem agendada uma cúpula de líderes desportivos para a próxima terça-feira (21), na qual abordará a elegibilidade da Rússia. Enquanto isso, atletas do Comitê Olímpico Europeu (COE) emitiram um comunicado pedindo que o COI mantenha o doping fora das Olimpíadas, mas sugeriu que os atletas que comprovem estar limpos devam ser autorizados a competir. #Rio2016