Anos atrás, esse seria certamente um cenário impensável. No momento, é algo real. Em 6° lugar nas Eliminatórias com apenas 9 pontos em seis jogos, o Brasil estaria fora da Copa do Mundo de 2016 se a classificação terminasse hoje. Na sua apresentação como novo técnico da #Seleção Brasileira, Tite elegeu a vaga como prioridade de trabalho e admitiu a dificuldade que a tabela impõe.

Mal começou o trabalho e já pegou no batente. Ciente da importância de analisar, estudar e assistir aos jogos dos adversários, Tite pegou um avião e acompanhou in loco, na quarta-feira, a vitória do Chile por 2x0 sobre a Colômbia, em Chicago, nos Estados Unidos, pela semifinal da Copa América Centenário - competição na qual o Brasil de Dunga decepcionou e caiu na primeira fase em grupo com Equador, Haiti e Peru.

Publicidade
Publicidade

A ida de Tite aos EUA foi para ver de perto o time colombiano. A Colômbia será a segunda adversária da era Tite. No dia 6 de setembro, pela oitava rodada das Eliminatórias, o Brasil enfrentará a Colômbia em casa, na Arena da Amazônia. Antes disso, Tite fará a sua estreia contra o Equador, fora de casa, no dia 2 de setembro.

No momento, o Uruguai lidera as Eliminatórias com 13 pontos. O Equador tem os mesmos 13, na segunda colocação, mas tem um saldo de gols inferior. Completam a zona de classificação em terceiro e quarto lugar Argentina (11) e Chile (10), respectivamente. No 5° lugar, que disputa uma repescagem para ir ao Mundial, está a Colômbia, com 10 pontos, um a mais que o Brasil. #Futebol