O Sporting, depois de várias derrotas na #Justiça, conseguiu vencer em Tribunal uma queixa do Benfica que garantia que a instituição rival tinha vendido vários cachecóis nas suas lojas com o símbolo benfiquista, sem qualquer tipo de autorização. Tal como informa o jornal “Record”, o caso nem chegou a ir a julgamento, visto que o juiz responsável concluiu que a empresa que estava vendendo esses cachecóis, que tinham os símbolos das duas instituições, não pertencia oficialmente ao Sporting e nem o seu presidente Bruno de Carvalho tinha conhecimento da sua fabricação.

Se a rivalidade em Portugal entre Benfica e Sporting nos últimos anos andava muito apagada, a verdade é que no último ano as duas grandes instituições portuguesas resolveram se atacar de todas as formas e feitios, sobretudo através da Justiça portuguesa.

Publicidade
Publicidade

Contudo, se a direção do Sporting tinha perdido até agora praticamente todos os seus processos, sendo o mais conhecido contra o fundo Doyen, a verdade é que Bruno de Carvalho conseguiu somar uma grande vitória contra o eterno rival Benfica.

Como informa o jornal “Record”, o Sporting conseguiu se defender da queixa avançada pelo Benfica ao garantir que nunca fabricou nenhum tipo de produtos oficiais com o símbolo do rival, muito menos sem ter a autorização devida. Depois da decisão do Tribunal, o Benfica ainda enviou um recurso, porém Luís Filipe Vieira ficou a saber que não tinha razão e que teria que pagar mais de dois mil reais pelos custos judiciais, que naturalmente incluem todos os custos que o rival gastou na defesa do caso.

Após a oficialização da decisão, o Sporting consegue assim uma vitória e pagamento histórico do rival, sendo que apesar de não ter sido muito dinheiro, o simbolismo da primeira vitória judicial de Bruno de Carvalho pode dar muita força à atual direção sportinguista.

Publicidade

Porém, se mais uma luta do Sporting em tribunal foi concluída, a verdade é que a instituição ainda tem que enfrentar muitos mais processos judiciais, incluindo aquele que envolve Jorge Jesus e novamente o Benfica, que exige 14 milhões ao rival. #Europa