Tite tem 55 anos de idade e 16 deles como treinador de #Futebol. Passou por vários clubes, uns de menor expressão, outros de grande notoriedade no futebol, até chegar agora no auge de sua carreira, alcançando o posto máximo do esporte preferido dos brasileiros.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou, nesta segunda-feira (20), a contratação tão esperada de Tite. O novo treinador da Seleção Brasileira de Futebol havia aceitado, na semana passada, o convite feito pelo presidente Marco Polo Del Nero, mas faltava a assinatura - o que ocorreu nesta tarde. O técnico chegou ao prédio da entidade por volta das 16h para registrar seu novo contrato de compromisso e trabalho.

Publicidade
Publicidade

As conversas entre os dirigentes do Corinthians, da CBF e representantes de Tite começaram na terça-feira passada (14), prosseguindo até sexta (17). A longa espera para oficializar o nome de Tite à frente da seleção ocorreu devido a um pedido de Tite para finalizar seu desligamento do Corinthians. Salários e outros detalhes de Tite com a CBF foram definidos no final da sexta. Apenas aguardaram burocracias para o anúncio oficial nesta segunda (20).

A CBF não divulga salário, mas sabe-se que ele receberá mais que R$ 500 mil mensais e premiações. Além de Tite, o assistente técnico, Cléber Xavier, e o novo supervisor da seleção principal, Edu Gaspar, terão ganhos fixos com a #Seleção Brasileira. Auxiliar técnico no Corinthians, o filho de Tite, Matheus Bacchi, também trabalhará com o pai.

A estreia de Tite ocorrerá em setembro, nas rodadas das eliminatórias da Copa, contra Equador e Colômbia – em Quito e Manaus, respectivamente, nos dias 2 e 6.

Publicidade

Nos Jogos Olímpicos Rio 2016, o técnico será Rogério Micale. Mesmo sem comandar o time, Tite acompanhará o trabalho de bem de perto.

Assim que foi chamado pelo presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, para proferir as primeiras palavras como treinador da Seleção Brasileira, Tite já teve que se explicar. Afinal, há cerca de seis meses, ele assinou um manifesto pedindo a renúncia definitiva de Del Nero da presidência da CBF. Tentando se esquivar de problemas no primeiro dia no novo emprego, o treinador da Seleção Brasileira usou a evolução do futebol brasileiro como justificativa para aceitar trabalhar na CBF.

O treinador deixou bem claro sua meta principal nesse começo de trabalho: garantir a classificação para a Copa do Mundo.