Mesmo tendo saldado parte das dívidas do clube e com construção do tão sonhado Centro de Treinamento, Peter Siemsen, ao que parece, encontra uma grande resistência dentro da torcida do Fluminense. Neste domingo, foi publicado um site onde tricolores protestam contra algumas decisões tomadas pelo atual presidente da agremiação do Rio de Janeiro.

A principal crítica está em uma possível falta de ambição do mandatário, especialmente quando o assunto é o desempenho do futebol nas competições nacionais. Para os torcedores, Peter dá mais prioridade às finanças e acha normal o #Fluminense ocupar posições intermediárias nas tabelas de classificação dos torneios.

Publicidade
Publicidade

No portal, além de mensagens contrárias a Peter Siemsen, são publicadas algumas notícias relacionadas ao período em que está à frente do clube das Laranjeiras e o tempo para acabar o seu mandato.

Brigas com técnicos, fim de uma parceria e dispensa de estrelas em seis anos

Em janeiro de 2011, Peter Siemsen assumia o Fluminense prometendo uma gestão voltada para a modernidade. No entanto, pouco tempo depois, veio a primeira crise. De uma tacada só, foram demitidos Alcides Antunes, então vice-presidente de futebol e o técnico Muricy Ramalho, dois dos destaques no título do Campeonato Brasileiro da temporada anterior. 

Apoiado pelo patrocínio da Unimed, o presidente soube diminuir a pressão e, em 2012, montou uma estrutura capaz de levantar outro título de Brasileirão, além de encerrar um jejum de sete anos sem conquistar o Estadual do Rio de Janeiro.

Publicidade

Em 2013, porém, o "casamento" com a empresa médica, que já durava pouco mais de uma década, começou a ruir. Mesmo assim, Peter acabou contando com o voto de confiança de Celso Barros, presidente da Unimed, para conseguir a sua releição. Os conflitos, no entanto, aumentaram e, no final de 2014, Barros publicava uma nota, anunciando o fim da parceria, que, além dos títulos, proporcionou o Fluminense a chegar a duas finais intercontinentais (Taça Libertadores e Copa Sul-Americana).

Outro "calcanhar de Aquiles" da gestão Peter Siemsen foi a convivência com algumas dos principais jogadores do time. Desde a sua entrada, nomes como Rafael Sóbis, Dario Conca, Wellington Nem e, na última sexta, o principal deles, Fred, todos idolatrados pelos torcedores, deixaram as Laranjeiras.

No próximo mês de outubro, acontecem novas eleições para a presidência do Fluminense. Peter Siemsen não poderá concorrer e ainda não revelou quem indicará para o cargo. #Campeonato Brasileiro #PaixãoPorFutebol