29 anos dedicados a um clube. Esse é o tempo que o galês Ryan Giggs passou dentro do Manchester United. Das quase três décadas, Giggs dedicou grande parte do tempo vestindo a camiseta do Red Devils com devoção e, após sua aposentadoria dentro das quatro linhas, trabalhou com assistente técnico no clube. Porém, a nova temporada reserva um momento de despedida para o ex-jogador, que viu agora a necessidade de deixar o clube. Giggs chegou a treinar o United por 4 jogos, quando a equipe demitiu o então treinador David Moyes - que chegou ao clube para substituir o insubstituível Alex Ferguson.

Ferggie, em recentes declarações, apoiou a decisão do galês em seguir novos rumos, e deixar as futuras páginas de sua história no United serem escritas no futuro.

Publicidade
Publicidade

"É a hora de Giggs se virar sozinho, ir lá fora e aceitar o desafio. É uma indústria tão intensa com resultados que você precisa ser um pouco de ferro, ter caráter e personalidade. Eu acho que ele está pronto para treinar e tem muita qualidade. Não pode estragar essa qualidade indo para um clube que demite o treinador a cada dois minutos", declarou o escocês em entrevista a britânica BBC. 

Ao longo das últimas duas temporadas, Ryan Giggs foi auxiliar técnico do questionável holandês Van Gaal, que deixou o clube ao final do último campeonato para dar lugar ao português José Mourinho. Mourinho, por sua vez, trouxe sua própria comissão técnica, e seu fiel escudeiro, o auxiliar Rui Faria. De acordo com o treinador português, a saída de Ryan do United é por um simples motivo: os dois não poderiam ocupar a mesma função.

Publicidade

"O emprego que Ryan queria era o de técnico do Manchester United. Não é culpa minha que os donos queriam que fosse eu. Ryan, no momento, quer ser treinador. Ele poderia ter tido o que quisesse, qualquer emprego importante, mas ele tomou uma decisão em que precisou ser corajoso", afirmou o novo treinador dos Red Devils em sua primeira coletiva no novo clube 

Giggs possui os certificados necessários, exigidos pela UEFA, para ser treinador. Será que um dia o galês retorna para novamente comandar o United aos títulos?  #Futebol #Europa #Eurocopa 2016