O #Corinthians se encontra em uma situação desagradável, pois, nesses últimos dias, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), decidiu entrar na #Justiça contra o clube paulista. A companhia alega que o clube minimizou alguns de seus serviços em dias de jogos, que envolvia o trânsito e também o planejamento que já estaria realizado. Assim, a dívida do clube com a companhia pode ser de R$ 7,8 milhões. O caso ainda será resolvido na justiça, por isso, o valor exigido pode não ser pago.

O Corinthians não é o único clube a entrar na mira da companhia, pois os rivais do Timão também seguem no mesmo ritmo. O Santos pode pagar um valor equivalente a R$ 872 mil, por outro lado, o valor cobrado ao São Paulo gira em torno de R$ 11 milhões.

Publicidade
Publicidade

O Palmeiras não ficou fora da "lista negra" da companhia, pois a dívida do clube alviverde é de aproximadamente R$ 5,2 milhões. Vale lembrar que o levantamento foi elaborado pelo portal UOL.

O argumento da CET ganhou mais força, pois a Lei Municipal nº 14.072/2005 determina que, nos serviços que forem prestados para que ocorram quaisquer tipo de evento esportivo, os clubes responsáveis devem pagar todas as despesas. Mas apenas um ano após a lei ser regularizada, o SINDIBOL (Sindicato das Associações de #Futebol Profissional do Estado de São Paulo) decretou suspensão da ordem.

A Companhia de Engenharia de Tráfego fez com que a Lei Municipal voltasse a valer. Logo após, tentou entrar em pleno acordo com os clubes citados, mas não obteve sucesso, assim, optou por entrar com uma ação judicial.

Publicidade

Até agora, as equipes não foram informadas de forma oficial sobre este caso, consequentemente, ninguém se defendeu sobre a ação e nem realizou qualquer tipo de pagamento.

Outro caso apurado que pode prejudicar os cofres do clube de Parque São Jorge é o financiamento da Arena Corinthians, poism segundo o jornal Folha de S.Paulo, o valor pode custar aproximadamente R$ 1,64 bilhão. Vale lembrar que o jornal obteve acesso às planilhas da construtora responsável, a Odebrecht.

Pagando um valor aproximado em R$ 5 milhões mensais, o Corinthians pretende pagar seu estádio em 2028. Mas se o clube pretender pagar a mensalidade de forma antecipada, o valor será um pouco menor. Em contrapartida, o valor poderá aumentar mais ainda se a inflação tiver um crescimento ou se as parcelas venham a ser pagas de forma atrasada pelo clube paulista.

O Timão se juntou ao BNDES para fazer um empréstimo equivalente a R$ 400 milhões, já que esse valor seria pago através dos Naming Rights da Arena Corinthians, coisa que ainda não foi anunciada pelo clube.

Publicidade

Outro grande impasse seria os CIDS, que são taxas fiscais da Prefeitura de São Paulo, este valor gira em torno de R$ 420 milhões.

O jornal ainda informou que a Odebretch, construtora responsável pela Arena, chegou a garantir que não vai falar nada a respeito dos valores citados. O Corinthians também foi procurado, mas optou por não se manifestar sobre essa situação. Já a Caixa falou que todos os valores devem ser mantidos em total sigilo.