No último domingo (24), a delegação olímpica da Austrália relatou dezenas de problemas no edifício que a acomodaria, um dos 31 construídos na Vila Olímpica, dizendo que não poderia instalar-se nas dependências reservadas aos atletas e ao staff esportivo do país.

Kitty Chiller, chefe da delegação australiana, afirmou que o local estava claramente inacabado, com forte odor de gás, problemas com vazamentos de água, vasos sanitários que não estavam em funcionamento, fiação elétrica exposta e em contato com água, interruptores de luz que não funcionavam, além de sujeira espalhada por todos os lados. Diante disso, Chiller decidiu hospedar seus atletas em hotéis da região até que o prédio destinado à sua comitiva estivesse em perfeitas condições de recebê-la.

Publicidade
Publicidade

Vale lembrar que Reino Unido e Nova Zelândia já haviam relatado problemas idênticos em seus alojamentos ao Comitê Olímpico Internacional (COI).

Antes de chegarem ao Rio de Janeiro, assim como fizeram americanos, italianos e holandeses, os australianos providenciaram a contratação, por conta própria, de profissionais de limpeza para que estes adequassem o local à recepção dos atletas, mas o trabalho não foi o suficiente.

Diante das reclamações, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), disse que providenciaria um canguru para ficar pulando diante dos australianos. A piada não foi bem recebida, claro, pela delegação estrangeira, bem como foi reprovada pelos brasileiros, que, nas redes sociais, publicaram mensagens de repúdio sugerindo que a Vila Olímpica trata-se de mais uma obra de péssima qualidade e superfaturada para alimentar a corrupção brasileira.

Publicidade

Ao jornal Folha de São Paulo, o chefe de comunicação da delegação australiana, Mike Tancred, disse que em vez de cangurus, o prefeito deveria era providenciar encanadores para eliminar os vazamentos, colocando fim nos imensos lagos encontrados nos interiores dos apartamentos.

Mas uma estátua do animal em tamanho real já estava no Brasil quando Paes mencionou que iria colocá-lo nas instalações dos australianos. A comitiva olímpica trouxe a réplica do canguru, símbolo do país, para decorar a área de convivência do edifício da delegação. Acontece que a aparição do enfeite nesta terça-feira (26) acabou soando como resposta à provocação do prefeito carioca.

Os desentendimentos entre a administração pública fluminense e a comitiva da Austrália foram resolvidos e os competidores já ocupam as instalações destinadas a eles na Vila Olímpica.

Nesta quarta-feira (27), cerca de uma centena de atletas de modalidades como canoagem slalom, rúgni, hóquei e boxe devem desembarcar no Rio de Janeiro e seguir à Vila, que tem 6.104 apartamentos e deve receber 18 mil pessoas. #Jogos #Rio2016