Era a tarde de estreia do centroavante uruguaio Nico López no time do Internacional. O adversário era o Corinthians, vice-líder do Brasileirão. Uma tarde de domingo ensolarada no Beira-Rio com uma temperatura próxima aos 30 graus depois de uma semana muito fria. Cenário perfeito para uma recuperação do time treinado por Paulo Roberto Falcão na competição. Acreditando nisto cerca de 34 mil pessoas compareceram ao estádio. 

Só que com a bola rolando não foi o que se viu. A exemplo do que tem ocorrido nas últimas partidas, a equipe colorada treinada por Falcão pareceu confusa, desencontrada, não conseguindo trocar quatro passes certos no campo de ataque.

Publicidade
Publicidade

Na verdade as poucas chances criadas pelo Inter surgiram de lances ocasionais, de bolas "espirradas" pela defesa corintiana onde os atacantes colorados não mostraram competência no momento de concluir.

Nem a participação do meia Seijas ou a entrada de Nico López no segundo tempo, conseguiram dar alguma qualidade a um time que parece desaprendeu de jogar. E a cada dia se tem mais a certeza de que o culpado pelo insucesso do time do Inter não era apenas o Argel ou o Aguirre. Falta qualidade ao grupo que sempre foi tido e havido pela direção colorada como muito qualificado.

Neste domingo (31), o Internacional perdeu para o Corinthians por 1x0, gol de Elias, mas poderia ter tido uma derrota maior não fosse a imprecisão dos atacantes corintianos. Ao partir desesperadamente para o ataque buscando empatar a partida, o Inter esteve muito mais perto de tomar o segundo gol do que conseguir o empate.

Publicidade

Este foi o nono jogo do Colorado sem vitória somando neste período sete derrotas e dois empates. Foram quatro derrotas no Beira-Rio para um time que no início da competição tinha mais de 80% de aproveitamento jogando nos seus domínios. Apenas o Santa Cruz, que está na zona de rebaixamento, perdeu mais partidas em casa do que o Internacional. O time pernambucano foi derrotado cinco vezes no Brasileirão 2016.

Após a partida a torcida colorada não controlou a sua revolta e promoveu uma quebra-quebra no entorno do Beira-Rio danificando vidros e estruturas metálicas. O carro do coordenador da preparação física do Inter, professor Élio Carravetta, que trabalha há décadas no clube, foi completamente danificado.

Outra consequência do resultado negativo diante da equipe paulista foi a demissão do diretor de futebol do Inter, Carlos Pellegrini. Algumas versões dão conta de que o dirigente pediu demissão, outras dizem de que foi dispensado. O fato é que a partir de agora o presidente Vitório Piffero, também alvo dos protestos dos torcedores, acumulará as duas funções. 

Já o técnico Paulo Roberto Falcão na entrevista coletiva considerou lamentáveis os exageros provocados por alguns torcedores, mas considerou justo o direitos destes em protestar.

Publicidade

Com relação aos rumos da sua equipe, o treinador afirmou que é preciso ter calma neste momento e mostrou-se otimista com relação ao futuro do Inter. Falcão ainda não venceu treinando o Colorado. Foram três partidas, sendo duas derrotas e um empate. 

Com a derrota o Internacional ficou em 13°. lugar na tabela de classificação do Brasileirão, a quatro pontos da zona do rebaixamento. E na próxima quinta-feira a equipe comandada pelo técnico Falcão enfrenta o Cruzeiro em Belo Horizonte.  #Resenha Esportiva #Sport Club Internacional #Campeonato Brasileiro