Jorge Sampaoli, técnico do Sevilla (ESP), ainda não desistiu de ter Paulo Henrique Ganso atuando em seu elenco e fez nova cobrança para que a diretoria do clube continue sua pressão sobre o Tricolor paulista para contratar o camisa 10. 

O São Paulo, que anteriormente recusou oferta dos espanhóis pelo meia, sabe que desta vez as possibilidades de manter o Maestro no Morumbi são remotas, já que o staff do atleta sinalizou pela não renovação de seu vínculo com o clube, que se encerra em setembro de 2017.

A cena não é desconhecida do Tricolor mas, desta vez, o time é a vítima em vez de algoz. Isto porque, em 2012, a diretoria são-paulina tirou proveito do relacionamento conturbado entre o Santos FC e Paulo Henrique Ganso e fez um acordo com o grupo investidor DIS, dono dos direitos do atleta, para providenciar a transferência do jogador para o CT da Barra Funda.

Publicidade
Publicidade

Na época, a empresa pagou cerca de R$ 7 milhões ao Santos para tirar o meia da baixada santista.

Agora, o Sevilla tem nova oferta para propor aos dirigentes tricolores que, por conta da Libertadores, tentam postergar qualquer negociação com o time da Andaluzia.

Embora seu vínculo com o Soberano se encerre apenas em setembro de 2017, Ganso poderá assinar pré-contrato com outro clube já em março do mesmo ano.

Os agentes do camisa 10 demonstraram repúdio à atitude dos diretores do São Paulo de ignorar as tratativas com o clube espanhol e disseram que se PH Ganso não for negociado agora, ficará até o restante do contrato que, por sua vez, não será renovado, o que traria grandes prejuízos financeiros ao Tricolor paulista.

Em tratamento por conta de um estiramento na coxa direita, o meia está fora da primeira partida da semifinal da Libertadores, nesta quarta-feira (6), às 21h45, no Morumbi, contra o Atlético Nacional-COL.

Publicidade

Edgardo Bauza tem esperanças em contar com o jogador para a partida de ida, dia 13, em Medellín.

Esta é a hora de vender Ganso, é o que acredita a DIS, dona de 68% dos direitos econômicos do jogador. Por isso, a empresa se dispõe até em repassar parte de seus percentuais ao SPFC para que o clube não saia no prejuízo e consiga, ao menos, reaver os quase R$ 17 milhões que investiu, em 2012, para ter 32% dos direitos do meia.

O presidente são-paulino Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, disse que o jogador está entusiasmado com a possibilidade de atuar em um grande time da Europa, sem falar da felicidade em ficar próximo do amigo Neymar. Mas o cartola disse estar decepcionado com sua saída porque sua qualidade técnica, algo que, segundo o dirigente, o encanta, fará falta ao Tricolor.

Paulo Henrique Ganso quase renovou seu vínculo com o São Paulo através de esforços do ex-diretor de #Futebol Luiz Cunha que, inclusive, chegou a acertar valores e condições com o atleta. Porém, com o pedido de demissão do dirigente, o acordo acabou anulado.

DIS e São Paulo estão evitando tratar suas divergências de forma pública. #São Paulo FC #PaixãoPorFutebol