O Fluminense já escolheu o seu camisa 10. Em depoimento concedido ao Uol Esporte neste sábado, o diretor de futebol do clube das Laranjeiras, Jorge Macedo, confessou que existe um pré-acordo para trazer Junior Sornoza, meia e principal destaque do Independente Dell Valle, agremiação do Equador, um dos finalistas da atual Taça Libertadores da América. No entanto, como a janela de transferência internacionais está fechada no Brasil, o apoiador só poderá reforçar o Tricolor no ano que vem.

"A gente tinha uma conversa para ele vir depois da Libertadores. Com dois jogos já vimos que ele é diferenciado e o time foi avançando e a negociação ficou complicando.

Publicidade
Publicidade

Nenhum atleta vai ser liberado antes da final da competição e a janela fechou. Nós estamos tratando com o clube para tê-lo em janeiro. O jogador está com muito interesse em vir ao Brasil e jogar no #Fluminense", explicou o dirigente, que tem viagem programada para o Equador na próxima semana para os ajustes finais do vínculo com o atleta.

Para trazer Sornoza, o Flu venceu a concorrência do Grêmio. Após tomar conhecimento de que os gaúchos ofereceram um salário de R$ 110 mil, os cariocas ganhou a preferência do meia com vencimentos mensais de R$ 200 mil mensais.

A vinda de um jogador de criação se tornou uma espécie de obsessão nas Laranjeiras depois das saídas de Diego Souza (retornou para o Sport) e Gérson, que estava emprestado e apresentou-se à Roma, da Itália. Enquanto Sornoza não chega, o Fluminense investiu no setor e trouxe Danilinho (ex-Atlético-MG e Querétaro, do México), o argentino Cláudio Aquino, armador vindo do Independiente (ARG) e Alexis Rojas, revelação do futebol paraguaio.

Publicidade

O clube também repatriou Marquinho, que fazia parte do elenco campeão brasileiro de 2010 e, há cinco anos, estava fora do país, passando por Roma, Verona, Udinese, todos da Itália, além de dois times da Arábia Saudita: Al-Ittihad e Al-Ahli.

Outro nome especulado para integrar o elenco dirigido pelo técnico Levir Culpi é Jesus Dátolo. Depois de chamar a atenção com o Boca Juniors na temporada de 2008, o meia portenho canhoto de 32 anos iniciou a sua aventura no futebol brasileiro. Primeiramente, vestiu a camisa do Internacional e, desde 2013, está no Atlético-MG, onde conquistou uma Taça Libertadores e uma Copa do Brasil, mas que, após livrar-se de uma sequência de contusões, não vem sendo aproveitado.

Com 21 pontos e em 10º lugar, o Fluminense volta a atuar pelo #Campeonato Brasileiro de 2016 no domingo, encarando, a partir das 16h (de Brasília), na Arena da Baixada, em Curitiba, pela 16ª rodada da competição, o Atlético-PR. Vindo de um 2 a 0 sobre o Cruzeiro no Giulite Coutinho, em Édson Passos, distrito do Grande Rio, o Tricolor busca mais um triunfo para não se afastar do G-4, grupo dos classificados para a Libertadores da temporada que vem.  #PaixãoPorFutebol