Ao mesmo tempo em que finaliza o Centro de Treinamento (CT), cuja inauguração está prevista para os dias 21 ou 22 de julho), o Fluminense não esquece outro de seus grandes sonhos. De acordo com informações dos bastidores, a diretoria do Tricolor, na figura do Vice de Projetos Especiais, Pedro Antônio, já estuda a possibilidade de adquirir o terreno ao lado da Vila utilizada como alojamento dos atletas durante os Jogos Pan-Americanos de 2007, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio, para construir um estádio próprio.

Segundo o planejamento, o local teria capacidade para receber entre 20 a 40 mil pessoas e seria utilizado para os chamados jogos de pequeno e médio portes ao longo das temporadas, enquanto os clássicos, onde, normalmente, são esperados grandes públicos, continuariam a ser realizados no Maracanã.

Publicidade
Publicidade

Assim como ocorreu com o CT, o problema a ser resolvido seria a qualidade do solo, que necessitará de aterramento. Outro fator a ser estudado é o custo do empreendimento, aproximadamente 35% da obra do centro de treinamento.

"O Rio de Janeiro é cercado de rio e montanha. Isso (aterramento) não é um problema, é algo normal", disse Pedro Antônio em entrevista concedida ao portal UOL Esporte na última segunda.

A construção de um estádio é um do projetos do presidente da agremiação das Laranjeiras, Peter Siemsen, especialmente porque, ao longo de seus cinco anos de mandato, o Maracanã, na maioria das vezes, estava impossibilitado de receber partidas do Tricolor, fato que levou o time a não exercer plenamente o mando de campo, sendo obrigado a atuar em diversas cidades do território nacional, como Manaus, Brasília, Juiz de Fora e Cariacica.

Publicidade

Também em depoimento ao UOL, o mandatário deixou bem claro a sua insatisfação e o desejo de, ao sair em novembro, dar o embrião de uma nova casa ao #Fluminense.

"São cinco anos de gestão e só consegui jogar dois anos e meio no Maracanã. A dependência da área pública é ruim. Por isso o foco de construir um estádio privado do Fluminense, dando esse pulo de patamar", declarou Peter recentemente.

Para minimizar esse prejuízo, o Fluminense acertou, na metade do ano, uma parceria com o América-RJ para jogar no Giulite Coutinho. No entanto, até o momento, por diversas razões, o estádio de Édson Passos, município do Grande Rio, não teve a sua utilização liberada e a solução encontrada, na maioria das vezes, é o Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, assim como vai ocorrer na quarta, às 21h45 (de Brasília), diante do Ypiranga-RS pela terceira fase da Copa do Brasil. #Futebol #PaixãoPorFutebol