Nesta última terça-feira (26), o jornalista australiano Richard Hinds publicou no jornal “The Daily Telegraph” uma ironia à Vila Olímpica. Em sua publicação, ele se passou pelo presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, e aproveitou para ironizar a Vila Olímpica como sendo construída fora dos padrões tradicionais.

Para ele, o local foi construído em estilo “favela” do Rio, ao criticar as condições de limpeza, acabamento e acomodações. Hinds disse que essa é uma oportunidade que os atletas terão para viver sobre as mesmas condições de vida da maioria dos brasileiros, pelo menos até o país quitar a dívida de US$ 30 bilhões referente à Copa do Mundo e as Olimpíadas Rio 2016.

Publicidade
Publicidade

 Ao falar sobre as condições de vida dos brasileiros, o jornalista se refere à falta de água encanada e rede de esgoto. E para humilhar ainda mais a população brasileira, ele diz que até as paredes são como “opcionais extras”.

Richard Hinds e sua publicação irônica

A “favela olímpica”, como Richard Hinds chama, é alvo de muitas críticas por parte da delegação da Austrália. Esse é o país que mais tem reclamado dos prédios, além de outros problemas apontados ao Comitê Organizador Local.

Entre suas ironias sobre o que o Brasil está oferecendo aos atletas, ele ainda destacou as condições que se encontra o Velódromo, alegando que a sujeira na pista fará com que os ciclistas escorreguem. Não contente, ainda mencionou a Baía de Guanabara, um lugar poluído e que mesmo assim vai receber os atletas para as competições de vela, disparando que o local tem cheiro de “sacos de peixes deixados ao sol”.

Publicidade

O jornalista não se esqueceu do Zika Vírus, quando disse que o Comitê Organizador lhe garantiu que aplicando um repelente, estariam todos seguros e assim poderiam apreciar a bela cidade, ou Cidade Maravilhosa, que é o Rio de Janeiro.

E para completar o seu artigo, Richard Hinds ainda criticou a segurança pública do Rio w se mostrou muito preocupado com os atletas e os dirigentes. Se passando por Thomas Bach, mas sem perder a oportunidade de fazer comédia com o presidente do COI, ele ironiza a segurança do Rio ao falar que passeava com seus seis guarda-costas, bem armados, pelos arredores do hotel em que se hospedou e não teve qualquer problema.

E você, o que acha sobre a ironia que o jornalista australiano fez à Vila Olímpica?

#Blasting News Brasil #Guerra Civil #Racismo