O tricolor paulista perdeu a chance de seguir à final da Copa Libertadores da América, na última quarta-feira (13), após derrota por 2 a 1 para o Atlético Nacional, em Medellín, na Colômbia e, por isso, deixou de rechear seus cofres com alguns milhões de dólares apenas por não ter passado da semifinal do torneio. Mas os prejuízos não são apenas financeiros.

Se economicamente o tricolor se vê em situação delicada por não receber a grana da Libertadores e a arrecadação que poderia ter no Morumbi para a final do sul-americano, por outro lado, o clube tem a possibilidade de repôr algum dinheiro, mais de R$ 16 milhões, com a transferência de Paulo Henrique Ganso ao Sevilla, da Espanha.

Publicidade
Publicidade

Porém, a diretoria são-paulina está sendo pressionada pelo técnico argentino Edgardo Bauza a contratar nomes de peso para reforçar seu elenco e só com a grana do Maestro, pouco pode-se fazer.

Saíram Jonathan Calleri, centroavante artilheiro do torneio continental e seu substituto direto, Alan Kardec. A saída do argentino era esperada, pois seu empréstimo terminou no fim de junho e foi prorrogado apenas para que ele permanecesse com o time na Libertadores. Já a negociação de Kardec com um clube chinês foi uma decepcionante surpresa para os cartolas do São Paulo que viam no atacante a possibilidade de suprir a ausência de Calleri no ataque. 

Agora, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, presidente são-paulino, pode perder o comandante do time, Edgardo Bauza. A afirmação foi feita pelo próprio treinador em entrevista concedida à Cadena Uno, emissora de rádio argentina.

Publicidade

Patón disse que a diretoria do São Paulo intensificou as negociações por reforços apenas nas últimas semanas e isso tornou difícil seu ambiente de trabalho pois, sem jogadores qualificados no elenco, alcançar metas e objetivos tornam-se missões difíceis de ser realizadas em um time que perde jogadores no meio de uma temporada.

Mencionando os quatro desfalques importantes que teve de amargar - Calleri, Ganso, Kardec e Rogério -, Bauza citou a contratação de Gilberto, atacante que estava no Chigago Fire-EUA, e emendou que os cartolas são-paulinos estão em busca de atletas de peso para compor o time e que isso precisa ser feito até esta terça-feira (19), no caso de atletas que atuam fora do Brasil, pois é quando fecha a janela de transferências.

Não revelando diretamente os nomes que pediu à diretoria do tricolor, o técnico argentino admitiu o desejo de contar com Hernán Barcos. Porém, ele apontou como 'complicada' uma negociação com o ex-atacante de Palmeiras e Grêmio, atualmente, jogando no Sporting, de Portugal; mas o 'Pirata' pode ser um dos três jogadores de renome mais esperados para reforçar o time de Edgardo Bauza.

Publicidade

SELEÇÃO ARGENTINA

Após a saída de Tatá Martino, seu amigo pessoal, do comando da Seleção da Argentina, Patón considerou treiná-la apenas se houver alterações políticas e de organização na AFA, a Associação de #Futebol Argentina. Na entrevista concedida à rádio Cadena Uno, ele repetiu a afirmação feita após a renúncia de Martino.

PERMANÊNCIA NO SÃO PAULO

Ao ser perguntado sobre qual prazo deu à diretoria tricolor para contratar reforços, Bauza foi categórico e disse que as inscrições de atletas que atuam no exterior se encerram nesta terça-feira (19). Assim, sua permanência depende muito de o São Paulo conseguir atender, pelo menos, parte dos pedidos de contratações feitos por ele para reestruturar sua equipe. Se isso não acontecer, é pouco provável que ele fique no Morumbi para o restante da temporada. #São Paulo FC #PaixãoPorFutebol