Depois de um primeiro tempo nervoso na noite desta quarta-feira (6) no Morumbi, o São Paulo iniciou a segunda etapa do primeiro jogo da semifinal da Libertadores tentando exercer pressão contra o Atlético Nacional-COL, mas não obteve o mesmo êxito que conquistou até aqui no torneio.

Os colombianos vieram para o Brasil com a intenção de decidir a vaga para a final em Medellín, na próxima semana. Assim, jogaram fechados, recuados e explorando apenas os contra-ataques para levar alguma vantagem sobre o tricolor paulista que viu sua situação se complicar, em pleno Morumbi lotado, após a expulsão de Maicon.

A paralisação de mais de um mês no torneio continental, durante a disputa da Copa América Centenário, parece ter causado uma amnésia nos jogadores são-paulinos que não atuaram com a mesma gana que jogaram as partidas anteriores da Libertadores.

Publicidade
Publicidade

As ausências de Paulo Henrique Ganso e Kelvin, ambos afastados por conta de estiramento na coxa - direita no caso do primeiro e esquerda, no segundo - foram bastante sentidas pelo Soberano.

Para a vaga do Maestro, o técnico Edgardo Bauza escalou Ytalo, ex-Audax, que não mostrou bom futebol e comprometeu bastante a produtividade do ataque são-paulino.

Outra dificuldade no time do São Paulo veio com Hudson, recentemente recuperado de lesão. O capitão estava claramente sem condições de jogo e acabou substituído por João Schmidt.

Com a derrota para o Atlético Nacional por 2 a 0, gols marcados por Borja, o São Paulo terá de anotar, pelo menos, dois tentos sobre os colombianos na próxima quarta-feira (13), no Estádio Atanasio Girardot, em Medellín; para seguir à final da Libertadores. A esperança do clube brasileiro é a volta do seu camisa 10.

Publicidade

As atuações individuais dos jogadores são-paulinos foram regulares, exceto por Thiago Mendes que brigou, criou algumas chances e correu muito em campo.

Do lado do Atlético Nacional, time cuja defesa tomou apenas quatro gols nesta edição da Libertadores, os jogadores atuaram com perfeição no sentido de fechar todos os espaços de criação possíveis ao São Paulo.

As opções do tricolor paulista foram os lances de longa distância mas, mesmo assim, sem levar perigo algum ao Atlético Nacional. Nas únicas boas chances do São Paulo, Armani, goleiro colombiano, defendeu chute de Thiago Mendes e Michel Bastos.

EXPULSÃO DE MAICON

Aos 28 minutos do segundo tempo, o jogador colombiano Moreno começou a enrolar para repor a bola em campo e Maicon não conteve o nervosismo, dando um empurrão no adversário, o que culminou com sua expulsão pelo árbitro argentino Mauro Vigliano.

Oito minutos depois, aos 36, Borja calou o Morumbi marcando seu segundo gol na partida após envolvente troca de passes na entrada da área são-paulina.

Publicidade

Nesta quinta-feira (7) o Independiente Del Valle-EQU vai encarar o Boca Juniors-ARG, jogando em Quito, pela outra semifinal da Libertadores.

VANDALISMO E DEPREDAÇÃO

Na saída do Estádio Cícero Pompeu de Toledo, centenas de torcedores são-paulinos iniciaram ações de depredação e foi preciso a intervenção do Batalhão de Choque da Polícia Militar com bombas de gás e sprays de pimenta para conter os ânimos dos torcedores. #Copa Libertadores #São Paulo FC #PaixãoPorFutebol