“Reconheço-te pelo gume do teu temível gládio; reconheço-te por esse rápido olhar com que fitas o horizonte. Saída das ossadas sagradas dos helenos e pujante da tua antiga bravura. Saúdo-te, saúdo-te, oh liberdade!” Alguém pode achar estranho ou, no mínimo, diferente os versos acima, mas trata-se da 1ª estrofe do hino nacional da Grécia, onde a explicação sucinta traduz os anseios de liberdade do povo grego em relação ao jugo que escravizou a Grécia por 400 anos debaixo das mãos opressoras e homicidas dos sultões da Turquia. Inclusive, o simbolismo da canção convoca os soldados gregos que morreram em batalha para ressuscitar e ajudar na guerra de independência contra a Turquia, daí a expressão “dos sagrados ossos dos helenos”. 

Muito provavelmente, a maioria dos cidadãos gregos espalhados pelo mundo, inclusive aqui no Brasil, pode experimentar um pouquinho desse sentimento de bravura, liberdade e felicidade por meio da patrícia Anna Korakáki, que muitos não conseguem definir, ao certo, se é só uma menina de 20 anos ou uma deusa que faz jus à rica mitologia do seu país de origem; porém, fato é, que a atleta que representa a Grécia na prova de tiro com pistola tem feito bonito nos Jogos Olímpicos Rio 2016. 

Retornando somente um pouco na linha de tempo, Korakáki já tinha se consagrado campeã da prova de tiro na cidade de Rothenburg, na Alemanha, e seis meses depois, especificamente no domingo, dia 07 de agosto, ficou com a medalha de bronze na prova de tiro de pistola de ar de 10m, no Rio de Janeiro. 

Mas isso foi pouco, pois em 9 de agosto, terça-feira, quiseram os deuses olímpicos da Antiga Grécia que Anna Korakáki subisse novamente ao pódio, desta vez, conquistando a medalha de ouro na disputa da prova de tiro com pistola a distância de 25m, conseguindo ultrapassar a sua principal concorrente, a alemã Mônica Kars, pela pontuação de 8 x 6 respectivamente. 

A vitória de Anna deve ser valorizada uma vez que essa é a 1ª medalha de ouro da Grécia, desde os Jogos Olímpicos de 25 de agosto de 2004, em Atenas, ocasião em que a atleta Fani Halkia venceu a prova de atletismo dos 400 metros com obstáculos. 

Essa trata-se da 31ª medalha de ouro conquistada pela Grécia nos Jogos Olímpicos modernos e o mais interessante é que Korakáki entrou para o panteão dos heróis olímpicos gregos que ganharam 2 medalhas na mesma Olimpíada.

Publicidade
Publicidade

Anteriormente, os que fizeram tamanha façanha foram: Kostas Tsiklitiras no atletismo em 1908 e 1912, e os atletas de tiro, Giánnis Frangoudis e Giórgos Orfanidis no distante ano de 1896. 

Como diz a 2ª e última estrofe do hino nacional grego, que parece ter sido escrita especialmente para a campeã olímpica,  Anna Korakáki, a saber: “reconheço-te pelo gume do teu temível gládio; reconheço-te por esse rápido olhar com que fitas o horizonte. Saída das ossadas sagradas dos Helenos, e pujante da tua antiga bravura, saúdo-te, saúdo-te, oh liberdade”. Parabéns Anna, parabéns gregos, parabéns Grécia! #Olimpíadas #Rio2016 #Resenha Esportiva