Um dos momentos mais chocantes desse início de Olimpíada do Rio de Janeiro foi a fratura do ginasta francês Samir Ait Said. O acidente envolvendo o atleta assustou o público que acompanhava o primeiro dia da ginástica artística. O incidente ocorreu neste sábado, 06, repercutindo em todo o planeta. A fratura na perna do esportista foi mostrada até agora como a imagem mais chocante dos jogos. A pesquisa pelo vídeo que mostra o movimento errado do ginasta bateu recordes de busca em sites como o Google e o Youtube. No entanto, o infortúnio do francês não acabaria ali. Horas depois um novo vídeo de queda com Samir foi divulgado amplamente nas redes sociais.

Publicidade
Publicidade

D

Dessa vez, o tombo não foi em nenhuma prova, tampouco culpa do atleta que vem de um país que tem lutado bastante contra terroristas, especialmente os que pertencem ao grupo do Estado Islâmico. O novo drama do atleta aconteceu durante o atendimento feito por paramédicos. A equipe de saúde de brasileiros tinha sido muito elogiada por conseguir tirar Samir rapidamente do ginásio olímpico. No entanto, a retirada da área de competições acabou com o momento inusitado. No momento em que o ginasta seria colocado em uma ambulância, a maca em que ele estava acabou caindo no chão. 

Não se sabe ao certo o que levou a falta de atenção dos profissionais de saúde ou se a maca teria passado por um problema técnico. Certo mesmo é que ele viu sua vida indo de novo ao chão. O atleta, apesar da contusão, deu várias entrevistas falando que pensa em continuar na briga pela Olimpíada, mas dessa vez não no Rio de Janeiro, mas sim na cidade de Tóquio, no Japão.

Publicidade

Os jogos acontecem lá em 2020. 

Samir Ait Said já foi operado e permanece internado em um hospital do Rio de Janeiro, ainda sem previsão de alta. A informação foi dada pela agência internacional de notícias AFP. O atleta tem agradecido o apoio da torcida francesa e brasileira. 

Veja abaixo o vídeo que mostra o momento em que os paramédicos derrubaram o ginasta francês que já havia sofrido grave lesão:

#Rio2016