Desacreditada, contestada, caçoada. A seleção brasileira foi do inferno ao céu nesta Olimpíada, mas manteve o sonho do ouro vivo após vencer a Colômbia por 2 a 0 neste sábado, dia 13, e garantir a classificação para a semifinal. Com a vitória na Arena Corinthians, em São Paulo, #Neymar e companhia mostraram que as atuações apáticas dos empates contra a África do Sul e Iraque ficaram pra trás, e que os desconfiados torcedores podem voltar a ter esperanças do inédito ouro olímpico em 2016. A

A seleção agora se prepara para decidir a vaga na final com Honduras. A partida será realizada na próxima quarta-feira, dia 17, no estádio do Maracanã.

Publicidade
Publicidade

O jogo está marcado para as 17h. No mesmo dia, às 20h, Nigéria e Alemanha decidem o outro finalista em partida a ser realizada na Arena Corinthians.

 

Violência colombiana e gol de Neymar marcam o primeiro tempo

Com valentia, o time do técnico Rogério Micale suportou a agressividade colombiana, que teve como principal vítima Neymar. Contestado, o astro brasileiro sofreu diversas faltas, revidou quando pode e viu a complacência do juiz turco Çuneyt Çakir, que não expulsou nenhum jogador de campo. Mesmo com o rodízio de faltas aplicadas no craque brasileiro, Neymar não se intimidou e chamou o jogo para si. Aos 12 do primeiro tempo, o camisa 10 aproveitou a barreira mal posicionada pelo goleiro Bonilla e anotou o primeiro tento do jogo, de falta.

O gol foi o primeiro de Neymar nos Jogos Olímpicos, e quebrou um jejum do craque brasileiro, que não marcava um gol com a camisa da seleção desde setembro de 2015, quando o Brasil bateu os Estados Unidos por 4 a 1.

Publicidade

Com a vantagem no placar em São Paulo, o Brasil soube controlar o ímpeto colombiano, que deixou a agressividade um pouco de lado para tentar o empate. Apesar dos esforços do rival sul-americano, a zaga brasileira se defendia muito bem com Rodrigo Caio e Marquinhos. No segundo tempo, a Colômbia depositou suas esperanças no atacante Borja, campeão da Libertadores 2016 pelo Atlético Nacional, mas o jogador não conseguiu balançar a rede brasileira.

 

Golaço de Luan e defesa brasileira garantem o Brasil na semifinal

Com o relógio avançando, a Colômbia tentava pressionar e o Brasil se defendia e apostava no contra-ataque. Empurrado pelos 41 mil torcedores que foram até a Arena Corinthians, a equipe canarinho contou com uma dedicada aplicação de todos os seus jogadores para segurar os esforços colombianos. Aos 38, veio a recompensa pela aplicação tática e estabilidade emocional. Tocando a bola, o Brasil chegou até a intermediária do rival, com um bom passe de Neymar para o atacante Luan. O jogador do Grêmio viu o goleiro Bonilla adiantado e não pensou duas vezes: encobriu o arqueiro e guardou o segundo tento brasileiro no fundo das redes.

Publicidade

Foi também o segundo gol de Luan na Olimpíada. O camisa 7 havia anotado um dos gols da goleada brasileira por 4 a 0 contra a Dinamarca, na última quarta-feira, dia 10.

Depois de duas rodadas iniciais irregulares com empates por zero a zero contra África do Sul e Iraque, o Brasil parece ter reencontrado a trilha das vitórias ao bater Dinamarca e Colômbia. Agora, com todas as atenções voltadas para Honduras, a seleção espera espantar qualquer zebra e garantir a vaga na final, que confirmaria ao menos a medalha de prata para o time.

Caso avance, a seleção também pode reencontrar outro velho conhecido. Se passar pela Nigéria, a Alemanha também chegará a final. O possível confronto seria uma reedição da semifinal da Copa de 2014. Traumática, a goleada de 7 a 1 aplicada pela seleção principal alemã no Brasil em pleno Mineirão ainda repercute muito entre a torcida e a imprensa brasileiras. Se as coisas correrem como esperado, a seleção sub-23 comandada por Neymar pode se vingar daquele fatídico dia e alcançar a tão sonhada medalha de ouro. Se jogarem como ontem, os comandados de Micale têm boas  chances de chegar lá. Para a torcida, resta acreditar e torcer pela volta por cima. #Futebol #Rio2016