O atual presidente do #Corinthians, Roberto de Andrade, passa por um momento complicado em sua gestão diante da equipe paulista. Já que, na noite desta segunda-feira (15), torcedores do Timão protestaram em frente ao Parque São Jorge, criticando duramente a forma como ele vem trabalhando. Para aumentar ainda mais a 'crise' do mandatário alvinegro, muitos diretores e conselheiros do Corinthians entraram em contado com ele. O pedido era um só: a demissão do técnico Cristóvão.

Aos diretores que têm mais prestígio na equipe de Parque São Jorge, Roberto de Andrade respondeu, através do aplicativo de mensagens WhatsApp. Apesar de tudo isso que vem acontecendo em sua gestão, o manda-chuva alvinegro tentou minimizar a situação, porém, Cristóvão não será demitido do clube nesta semana, mas, caso seja derrotado na Arena na próxima segunda, diante do Vitória, o treinador ficará na corda bamba.

Publicidade
Publicidade

A informação é do jornalista Jorge Nicola.

A derrota para o Grêmio por 3 a 0 esgotou a paciência dos torcedores corintianos e mais ainda da cúpula alvinegra, que agora esperam sua saída da equipe. Em seis partidas disputadas, o treinador conseguiu vencer apenas uma, contra o Internacional. Sendo assim, foram três empates jogando na Arena Corinthians. Fora de seus domínios, a equipe comandada por Cristóvão Borges foi derrotada pelo Atlético-PR e pelo Grêmio.

Cristóvão Borges chegou ao Corinthians, após ser indicado pelo, até então, ex-presidente Andrés Sanchez, fato esse que irrita aos torcedores. A amizade entre Cristóvão e Andrés já vem de longa data. Quando Andrés Sanchez era responsável pela direção das Seleções da Confederação Brasileira de #Futebol (CBF), Cristóvão chegou a ser cogitado para comandar a Seleção Olímpica, mas não obteve sucesso.

Publicidade

Vale lembrar que, após a saída de Tite para a Seleção do Brasil, Roberto de Andrade queria Oswaldo Oliveira como treinador da equipe.

A estreia de Cristóvão no Timão ocorreu no dia 22 de junho. Naquela oportunidade, o Corinthians foi derrotado pelo Atlético-MG por 2 a 1. A partida aconteceu sob os domínios do clube mineiro. Caso seja demitido, Cristóvão Borges vai vivenciar um caso parecido com de Adílson Batista, que foi o escolhido para substituir Mano Menezes, convidado para ser técnico da Seleção em 2010.  Adílson durou apenas dois meses na equipe, com um total de 17 jogos disputados; seis derrotas, sete vitórias e quatro empates. #Campeonato Brasileiro