Estamos completando uma semana de Jogos Olímpicos Rio 2016 e, até o momento, os atletas brasileiros não estão indo tão bem quanto esperava a torcida. No judô, modalidade que sempre traz muitas medalhas ao nosso país, teve duas de bronze, com Rafael Silva e Mayra Aguiar e uma de ouro, com Rafaela Silva, além de uma inédita medalha de prata de Felipe Wu, no tiro esportivo. O Brasil ainda disputa outras modalidades onde consegue brigar com as grandes potências pela medalha, mas não há como negar a decepção com alguns resultados. Na ginástica artística, mais uma vez as meninas não conseguiram subir ao pódio, e a estrela maior, Jade Barbosa, torceu o tornozelo.

Publicidade
Publicidade

No basquete feminino, as mulheres foram eliminadas após quatro derrotas. E o masculino ainda briga pela classificação. Ainda tem o atletismo, o vôlei de praia masculino e feminino e o vôlei de quadra masculino e feminino também são uma possibilidade de conquistar medalhas. E claro, o futebol masculino e feminino também podem trazer medalhas para o  Brasil. As meninas jogam, nesta sexta-feira (12/08), contra a Austrália em Belo Horizonte, no estádio Mineirão, valendo vaga para a semifinal. Já o masculino, que finalmente venceu a Dinamarca por quatro a zero após dois empates, vai encarar a Colômbia na Arena de Itaquera, neste sábado (13/08), às 22h.

Com exceção do futebol masculino, os atletas não conseguem viver somente do esporte pela falta de apoio do governo - que, muitas vezes, até fornece os recursos, mas são desviados - e, pela falta de patrocínio.

Publicidade

Para exemplificar, o Felipe Wu se preparou para as #Olimpíadas na sua casa, ele ganhou medalha de prata no tiro esportivo a uma distância de 10 metros, e o local onde treinou tinha no máximo 7 metros. Outra modalidade que poderia ser melhor explorada é o futebol feminino, mas nossas meninas não tem o prestígio e nem o incentivo merecido. 

Se não tem incentivo aqui...

A seleção de pólo aquático masculino tem 5, dos 13 atletas, vindos de outros países. No tênis de mesa feminino, tem uma chinesa, a Gui Lin, que se naturalizou brasileira e defendeu o Brasil nas Olimpíadas de 2012. #Rio2016