O estádio do Mineirão estava lotado para ver a seleção feminina de futebol dar um show, mas o que todos viram foi um jogo dificílimo e tudo parecia ter terminado quando #Marta perdeu um pênalti. Aquilo definitivamente, era o fim. Mas o final foi surpreendente e o time saiu de campo vitorioso e a torcida voltou para casa respirando aliviada. Foi realmente uma das disputas mais emocionante destas #Olimpíadas, mas quem ficou realmente emocionada foi a jogadora Marta, eleita 5 vezes como sendo a melhor do mundo e que deixou de fazer um gol de pênalti.

Ainda dentro de campo ela recebeu apoio total de suas companheiras e ainda viu duas belíssimas defesas, fazendo com que o time avançasse nos Jogos Olímpicos.

Publicidade
Publicidade

No vestuário a emoção tomou conta de todos, com o discurso feito por Marta.

A jogadora fez questão de agradecer a cada uma de suas companheiras de equipe e contou que ao perder o pênalti viu seu mundo desabando e ela sentiu que o seu sonho estava chegando ao fim. Depois de tanto lutarem, por culpa dela, a história das meninas terminaria por ali, mas não, ela viu todas pensando de forma positiva e recebeu muito carinho e apoio.

"Vocês me reergueram, me consolaram", agradeceu a ídola dos brasileiros que aprenderam a admirar e a respeitar o #Futebol feminino, por causa dela.

Marta ainda disse que ela, como jogadora mais experiente, "estava morta", mas foram justamente as meninas mais novas, as primeiras a lhe darem apoio e mostrar que o jogo não tinha acabado e que enquanto houvesse uma chance, ainda haveria vida para elas.

Publicidade

Brasil e Austrália foi um jogo difícil, sem gols no tempo normal e a decisão de pênaltis também foi difícil, sem nenhum erro até a quinta cobrança, até que marta viu a goleira Williams defender seu chute. Ela voltou para o meio do campo certa de que a partir daquele momento começaria um pesadelo com o Brasil sendo eliminado, mas foi então que ela descobriu que, quando se joga em um time, ninguém nunca está sozinho e as companheiras estão ali não só para darem passes, mas também para apoiar nos momentos difíceis e a goleira brasileira mostrou que todas lutam pelo mesmo ideal.