As coisas continuaram difíceis para o São Paulo nesta temporada depois do empate, no Morumbi, com o Coritiba, primeiro time na zona de rebaixamento, com 26 pontos.

Na manhã deste sábado (27), torcedores invadiram o CT da Barra Funda e agrediram parte do elenco são-paulino, além de depredar o local e furtar pertences dos jogadores e material esportivo utilizado nos treinamentos da equipe. Tensa, a situação só se controlou quando Maicon e Lugano se dispuseram a dialogar com os revoltados integrantes da torcida organizada Independente.

O reflexo de toda essa pressão foi revelado na partida deste domingo e o tricolor, que precisava vencer para respirar um pouco na tabela do Brasileirão, permaneceu na 11ª colocação na tabela, com 28 pontos, e sem vencer em sua casa há cinco jogos; a última vitória do time no Morumbi foi no dia 10 de julho, contra o América-MG por 3 a 0.

Publicidade
Publicidade

A fatídica partida, realizada em um Morumbi com apenas 7.836 pessoas presentes, escancarou os problemas que Ricardo Gomes, em sua segunda passagem pelo tricolor paulista, terá de enfrentar com a falta de qualidade técnica em quase todos os setores e, agora, com o trauma das agressões sofridas pelos seus comandados.

Mesmo com um público pequeno, o time do São Paulo não deixou de sentir a fúria de sua torcida que xingou e vaiou muito o elenco, especialmente Michel Bastos, que se envolveu em uma discussão calorosa com o companheiro de elenco, Andrés Chávez, e teve de ser contido pelo meia peruano Cueva. No segundo tempo, Bastos foi ainda mais hostilizado quando Ricardo Gomes o substituiu por Luiz Araújo. 

Embora não tenha apresentado o #Futebol que costuma jogar, o argentino Chávez foi o são-paulino que mais ofereceu perigo ao gol do Coxa, mas seus chutes fortes pararam - assim como as tentativas de outros atletas do São Paulo como Thiago Mendes, por exemplo - nas grandes defesas do goleiro do clube paranaense, Wilson. 

A  partida da tarde quente deste domingo, na capital paulista, foi bem fria com o time visitante mais evitando tomar gol do que tentando marcar.

Publicidade

Os paranaenses tiveram uma única chance clara de anotar um tento contra o São Paulo, mas o goleiro tricolor evitou o êxito dos adversários, que deixaram o Estádio Cícero Pompeu de Toledo na 15ª colocação, na zona da degola do nacional e terão um jogo difícil, em casa, na próxima rodada do Brasileirão, contra o Grêmio, na 6ª posição, com 36 pontos.

O próximo confronto do tricolor será fora de casa, no feriado de 7 de setembro, contra o líder do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras, com 43 pontos, quinze a mais do que o time de Ricardo Gomes. A partida, válida pela 23ª rodada do torneio, está marcada para começar às 21h45, no Allianz Parque.

Ricardo Gomes já sabe que terá, no mínimo, três ausências no clássico: Mena e Cueva estarão à disposição de suas seleções e Buffarini cumprirá suspensão automática. Ausente da partida deste domingo por conta de um estiramento no músculo adutor da coxa direita, Rodrigo Caio

Buffarini, suspenso, e Mena e Cueva, convocados por suas seleções, já serão desfalques certos para Ricardo Gomes.

  #São Paulo FC #PaixãoPorFutebol