No final da tarde ontem, a direção do Internacional anunciou a contratação do lateral do Coritiba, Ceará. O jogador já atuou no Colorado em 2006, tendo feito parte do time que foi campeão no Mundial de Clubes contra o Barcelona da Espanha. Com problemas defensivos, o Inter entendeu que precisava contratar um lateral experiente para reforçar o setor, visto que Artur está sendo muito questionado pela torcida e, no último jogo contra o Corinthians no Beira-Rio, foi muito vaiado.

A partir disso, a direção do clube gaúcho resolveu procurar o Coritiba para saber da viabilidade de uma negociação envolvendo o lateral-direito Ceará.

Publicidade
Publicidade

Houve conversações com as duas direções e chegaram a um valor de 1 milhão de reais, para que o jogador fosse transferido para o Inter. Com toda a parte financeira definida entre os clubes e o atleta, Ceará rumou para Porto Alegre visando a realização de exames médicos. 

Mas, para a surpresa de todos, nesta terça-feira (02), surgiu a informação que o lateral, de 36 anos, do Coritiba, havia sido reprovado nos exames médicos e o Internacional p, por consequência, estava desistindo da contratação. Segundo dirigentes colorados, existia a intenção de aproveitar o jogador imediatamente e, por essa razão, nem consideraram a possibilidade de um período de recuperação. 

Enquanto o Inter dava o assunto por encerrado e já especulava outros nomes para o lugar do Ceará, junto à direção do Coritiba a interpretação do fato era completamente diferente.

Publicidade

O Coxa tratou logo de divulgar uma nota oficial no meio da tarde, constando que já havia feito a rescisão contratual do jogador em função da proposta feita pelo Internacional.

Na nota oficial do clube paranaense consta que, em nenhum momento, o Coxa pretendeu negociar o Ceará e apenas atendeu a um anseio do Inter. O documento registra também que o jogador vinha se recuperando de lesão, mas estava bem, tanto que atuou na partida contra o Flamengo, no domingo passado pelo Brasileirão. O documento encerra com uma frase impositiva: "O Coritiba entende que a rescisão foi feita e espera o cumprimento do acordado junto aos envolvidos."

O que se viu depois disso foi uma grande repercussão nas redes sociais de torcedores colorados, comparando a transação com a compra de um produto com defeito e que, no caso, caberia devolução.

Enquanto isso, os dirigentes dos clubes concederam entrevistas aos veículos de comunicação, dando a sua versão sobre o assunto. O presidente do Internacional, Vittório Pífero, afirmou que o clube não teme consequências administrativas pela desistência da contratação do Ceará. Já o diretor de #Futebol do Coritiba, Alex Brasil, disse que o jogador assinou a rescisão e não pertence mais ao Coxa e que o assunto, a partir de agora, pertence à esfera jurídica. Resta saber o que a legislação esportiva diz sobre esse caso.  #Sport Club Internacional #Campeonato Brasileiro