O judô brasileiro passa por grandes emoções durante este dia de competições da #Rio2016. Na categoria masculina até 81 kg, Victor Penalber perdeu para Sergiu Toma, dos Emirados Árabes, e despediu-se da competição. Na saída, falou emocionado e agradeceu a todos os que o apoiaram na luta até a chegada aos Jogos.

Já na categoria feminina, até 63 kg, Mariana Silva venceu a israelense Yarden Gebby no golden score e avançou para as semifinais. A próxima luta da judoca será contra a número 1 do mundo e atual campeã mundial Tina Trstenjak, ainda hoje, logo mais às 15h30.

Segunda-feira (8), a judoca brasileira Rafaela Silva, militar da Marinha, venceu a disputa pelo ouro, trazendo a segunda medalha para o país na #Rio2016.

Publicidade
Publicidade

A primeira havia sido conquistada por Felipe Wu, no tiro, no último sábado (6). Ele também é atleta militar e foi responsável por quebrar um jejum de 96 anos sem medalhas na competição de tiro. 

Curiosidades

1. O judô é uma das modalidades em que o Brasil mais se destaca na história dos Jogos Olímpicos. Ao todo, foram 20 subidas ao pódio: 4 ouros, 3 pratas, 13 bronzes. Destas, quatro (1 ouro e 3 bronzes) foram conquistados em Londres (2012) por Sarah Menezes (O), Felipe Kitaday, Mayra Aguiar e Rafael Silva (B).

2. Esta é a nona Olimpíada consecutiva em que o Brasil sobre ao pódio pelo judô, sendo o único esporte brasileiro a conseguir. A série de vitórias iniciou-se em Los Angeles (1984), com uma prata e dois bronzes. 

3. Antes disto, o país havia ganhado apenas uma medalha na competição: em 1972, nas Olimpíadas de Munique (Alemanha).

Publicidade

4. Nas Olimpíadas de Atlanta (EUA), em 1996, Daniele Zangrando, com apenas 16 anos, foi a mais jovem judoca brasileira em uma Olimpíada. Quatro anos depois, em Sydney (Austrália), Tiago Camilo conquistou a prata, sendo o mais jovem medalhista olímpico entre os judocas brasileiros.

5. A primeira medalha olímpica de uma mulher no judô foi conquistada por Ketleyn Quadros, em Pequim (China), 2008. Segue-se a ela Sarah Menezes e Mayra Aguiar (2012) e agora, Rafaela Silva (2016). Será que Mariana Silva integrará esta lista? Logo saberemos. #judô