Há um ditado conhecido em todo mundo que diz que religião, política e #Futebol são temas que não devem ser discutidos para evitar confusão. Até mesmo no tolerante Brasil, grupos, torcidas organizadas ou os próprios atletas fazem dos estádios os palcos para protestos, homenagens e reivindicações além da própria partida de futebol em si. No entanto, esse é um fenômeno que pode ser considerado global, pois tem acontecido em diversos outros países do mundo como é o caso da Itália, outro país amante do futebol e que já foi 4 vezes campeão mundial nesse esporte. 

No típico Cálcio italiano acontece um fato, no mínimo, pitoresco, onde duas equipes de futebol conseguem fazer o que se chama de "roubar a cena", pois elas não misturam somente dois dos tópicos citados acima, mas todos os três conceitos, a saber: futebol com religião e mais política, ou seja, a discórdia encontra-se armada, uma vez que em uma ponta da competição há o time “comunista” e na outra extremidade o time classificado como “fascista” pela sua própria torcida. 

LIVORNO X LAZIO

Na Toscana está o time do Livorno, onde a cidade que deu o nome ao time simboliza o antagonismo ao fascismo, que teve, na pessoa de Benito Mussolini, o seu principal representante e ainda, Antonio Gramsci, marxista italiano, fundou em Livorno o conhecido Partido Comunista Italiano.

Publicidade
Publicidade

Desse modo, a maioria dos cidadãos italianos daquela região têm tendência política esquerdista, entre os quais, os torcedores do Livorno Calcio. 

O time em questão foi fundado em 1915, pelos empregados do porto da cidade e tem uma torcida que leva ao seu estádio, enormes bandeiras exibindo símbolos comunistas como a foice e o martelo, faixas desenhadas com o rosto do revolucionário Che Guevara e os componentes entoam a canção “Bandiera Rossa”, caracterizando a canção libertária e de inclinação esquerdista do movimento do operariado na Itália. 

Por outro lado, o time da Lazio é representado pelos fervorosos “Irriducibili” ou “Obstinados” em português, os quais têm, em suas fileiras, os componentes da ideologia direitista italiana e simpatizantes contumazes do ditador. A torcida da Lazio comparece aos estádios com símbolos da suástica, cruzes de origem celta e canta as palavras “Duce! Duce!”, em alusão ao “Líder” Mussolini. 

No ano de 1998, os torcedores da Lazio apareceram com uma faixa em que estava escrito: “Auschwitz vossa pátria, os fornos vossas casas!”, relembrando com sarcasmo as centenas de milhares de judeus que perderam as suas vidas nos campos de concentração nazista de Adolf Hitler. 

Nos tempos atuais, os “esquerdistas” do Livorno estão disputando a Série B italiana e procuram o retorno do time para a disputa na Serie A, enquanto a Lazio está melhor classificada, inclusive participando da disputa por uma colocação na Uefa Champions League, mas fato é, futebol, política e religião nem sempre conferem uma boa combinação na cabeça de pessoas que não sabem lidar com as diferenças diversas.

Publicidade

#Comportamento #PaixãoPorFutebol