Um dos casos que balançou os Jogo Olímpicos Rio 2016 acaba de ser concluído pela polícia brasileira. Ryan Lochte, nadador norte-americano que mentiu para o mundo sobre um suposto caso de assalto e violência que sofreu na Cidade Maravilhosa, terá que voltar ao Brasil para dar explicações e ser indiciado pelo crime de falsa comunicação. De acordo com o site Agência Brasil, vinculado à rede EBC de Comunicação, a Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat) e a Polícia Civil do Rio de Janeiro, disseram que estão encerradas as investigações sobre o caso.

O medalhista, que "fugiu" para os Estados Unidos durante as investigações do #Crime que ele afirmou ter sido vítima, não foi perdoado e já foi convocado a se apresentar no Rio de Janeiro em data próxima.

Publicidade
Publicidade

O esportista disse que ele e dois amigos, também medalhistas e nadadores olímpicos, disseram que foram assaltados por "homens fardados" voltando de uma festa ao pararem em um posto de gasolina. Contudo, foi revelado pela polícia que tudo não passava de uma farsa inventada pelos estadunidenses, que pararam no local e criaram uma confusão, chegando a quebrar o banheiro do local, pagando na saída. O "mistério" foi desvendado a partir de imagens de câmeras de segurança e depoimentos nos locais.

A própria polícia brasileira sugeriu que a Justiça envie uma carta rogatória, instrumento legal para pedir aos Estados Unidos que envie o nadador de volta para o nosso país. A polícia também requereu que a Comissão de Ética do Comitê Olímpico Internacional (COI) fique ciente dos autos do processo e receba uma cópia.

Publicidade

Caso seja penalizado por falsa comunicação de crime, Ryan terá que pagar uma multa e poderá até ser detido com pena de um a seis meses.

Pelas redes sociais, muitas pessoas se manifestaram a respeito do caso. Um homem chegou a ameaçar o nadador, dizendo que Ryan deve servir de "exemplo".

"Isso aí, polícia!! Coloca atrás das grades esse gringo safado para servir de exemplo. Se eu visse na minha frente ia encher de porrada", disse.

Carreira prejudicada

Ryan acabou confessando, mas não assumiu a culpa do crime publicamente. Em uma nota enviada à imprensa e aos brasileiros, ele apenas disse que foi um mal entendido e chegou a insinuar que foi acusado injustamente. A imprensa brasileira e internacional não perdoou o nadador e investigou também a vida de Ryan, expondo o atleta como "bagunceiro" e "mal visto" em seu país. Por conta de toda a confusão causada no Brasil, ele já perdeu dois patrocinadores importantes de sua carreira. #Rio2016 #Investigação Criminal