A nadadora Joanna Maranhão resolveu falar a respeito dos ataques e ofensas que tem sofrido nas redes sociais nos últimos dias, e que aumentaram bastante durante a participação da atleta nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Após ser eliminada na fase classificatória da prova dos 200m borboleta, da natação olímpica, nessa terça-feira, dia 9 de agosto, Joanna Maranhão desabafou em entrevista para os canais SporTV e ESPN Brasil. Ela afirmou que o “Brasil é racista, machista e homofóbico”.

Segundo a nadadora pernambucana, os ataques em seu perfil no Facebook começaram a aparecer depois do seu resultado em outra prova que disputou nas Olimpíadas 2016, com alguns internautas chegando a relembrar o caso de estupro que ela sofreu quando criança.

Publicidade
Publicidade

Ainda de acordo com Joanna, algumas mensagens enviadas ao seu perfil oficial diziam que ela merecia ser estuprada e que a sua história era uma grande mentira. Ela completou dizendo que muitos brasileiros, inspirados pela cultura futebolística, acham que têm o direito de tratar os atletas olímpicos como jogadores de futebol, ofendendo-os quando eles não ganham.

Repercussão

O desabafo de Joanna Maranhão ganhou grande repercussão na mídia. O narrador da Globo, Luís Roberto, por exemplo, incomodado com os ataques sofridos pela nadadora, afirmou que as pessoas ainda não sabem usar essa poderosa ferramenta que é a rede social.

Já o narrador Milton Leite, do SporTV, concordou com a fala de Joanna, dizendo que “o Brasil, nas redes sociais, é um país conservador, racista e misógino”. Quem também se manifestou foi a ex-nadadora Flávia Delaroli, comentarista da ESPN, que disse que os ataques interferiram diretamente nos resultados da atleta.

Publicidade

Processo contra internautas

Em postagem no seu perfil no Facebook, Joanna Maranhão confirmou que vai processar os internautas que denegriram sua imagem e a ofenderam com xingamentos, após a não classificação para as finais da natação.

Segundo ela, seu advogado coletou dados de cada um que postou as mensagens e já está preparando uma ação contra tais pessoas. Se tiver sucesso em sua ação, a atleta afirmou que o dinheiro ganho será utilizado para o combate à pedofilia. #Olimpíadas #Rio2016 #Internet