Após a seleção brasileira empatar a segunda partida nos Jogos Olímpicos, ficando 90 minutos sem fazer nenhum gol, os jogadores foram muito criticados principalmente por Galvão Bueno, que não poupou críticas ao time, detonando de modo especial o craque #Neymar e com isto a relação dos dois está estremecida. Neymar não quer nem ouvir falar o nome de Galvão Bueno e quem convive com o craque já notou o quanto ele ficou chateado pelos comentários feitos pelo narrador global.

Galvão sempre elogiou bastante o craque da seleção, se comportando muitas vezes como um verdadeiro fã, só que ao ver a seleção empatando pela segunda vez e Neymar tendo um péssimo desempenho dentro de campo, começou a criticar o capitão da equipe brasileira de #Futebol. Nesta última quarta-feira (10), após a vitória do Brasil por 4 a 0 contra a Dinamarca, Galvão deu explicações a respeito das críticas feitas anteriormente ao jogador Neymar, quando disse que o capitão do time não pode ir saindo assim, sem falar nada. "Existe um protocolo a ser cumprido", explica o narrador, tentando melhorar o clima ruim entre ele e Neymar.

Publicidade
Publicidade

Será que o craque vai perdoá-lo e retomar a amizade que tinham?

 Neymar também não gosta de ser comparado a Marta

O capitão da seleção brasileira masculina de futebol não quer ser comparado à jogadora da seleção feminina, mas isto vai ser impossível porque enquanto os homens não conseguiam um bom resultado dentro de campo, as meninas mostravam a beleza do futebol brasileiro que sempre encantou o mundo todo.

O jogador baladeiro não está sendo muito feliz nestas #Olimpíadas, pois além de enfrentar a pressão dentro de campo, ainda tem que lidar com as críticas e comparações fora do gramado. O craque vem se mostrando extremamente incomodado em ser comparado a uma jogadora, principalmente pelo fato dela ser apontada como a melhor do futebol no Brasil e ele a grande decepção destes Jogos Olímpicos.

Publicidade

Neymar não está bem com a torcida brasileira e muito menos com o Galvão Bueno. Uma medalha de ouro poderia resolver tudo isto, mas será que o Brasil consegue ser o primeiro no futebol masculino?