Contratado para ficar no Palmeiras até dezembro de 2016, Alecsandro viverá dias traumáticos até que o STJD (Superior Tribunal de #Justiça Desportiva) julgue o recurso que seus advogados deverão impetrar contra a decisão de suspender o atleta por dois anos em razão do doping confirmado em abril deste ano.

A decisão do TJD foi tomada no fim da tarde da última segunda-feira (1) pela constatação do uso de anabolizantes pelo atacante, de 35 anos, após a vitória do #Palmeiras por 1 a 0, gol marcado por Dudu, no clássico contra o Corinthians, no dia 3 de abril, pelo Campeonato Paulista. O exame de antidoping deu resultado positivo para a substância O-Dephenylandarine, proibida pelas regras que controlam o uso de drogas ou de métodos específicos que visam aumentar o desempenho de um atleta durante uma competição.

Publicidade
Publicidade

Os advogados contratados por Alecsandro informaram que irão recorrer da sentença que determina a suspensão do jogador por dois anos. Além dos defensores do atleta, o Palmeiras também colocou à sua disposição os serviços de seu departamento jurídico.

Em junho, o Tribunal de Justiça Desportiva havia determinado o afastamento de Alecsandro por, pelo menos, 30 dias até que fossem julgados os resultados da contraprova.

Os advogados do palmeirense contestam a acusação de ingestão de anabolizantes relatando que medicamentos legais utilizados após a realização de um implante capilar é que potencializaram a presença da substância proibida que, ainda segundo o corpo de defesa formado, inclusive, por um médico especialista em bioquímica, acabaram tomando as composições de um anabolizante graças ao processo de metabolização desenvolvido pelo fígado de Alecsandro.

Publicidade

Em 15 anos de profissão, Alecsandro jamais se envolveu em episódios como este e ele fez essa observação durante o julgamento, revelando que realizou mais de 15 exames antidoping quando estava no Flamengo e em nenhum deles foi verificada qualquer irregularidade.

Agora, clube e defesa particular devem aguardar o prazo de 48 horas até a publicação da decisão do TJD para entrarem com recurso pedindo a anulação ou revisão da decisão de afastar o camisa 29 dos gramados por dois anos.

Caso se esgotem todas as possibilidades de recursos no âmbito do Tribunal de Justiça Desportiva, o processo deverá ser julgado, em última instância, pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva no Rio de Janeiro.

Se tiver de se afastar, a carreira de Alecsandro como jogador de futebol profissional poderá ser encerrada pois, aos 37 anos e depois de dois anos fora dos gramados, poucas serão as chances de ele ser contratado, pelo menos, para atuar por um grande clube brasileiro. Ainda assim, o atacante tem esperanças de poder continuar no Palmeiras até dezembro e, se possível, de renovar com o Verdão para se manter defendendo a camisa de um time com o qual ele se identificou profundamente, conforme suas palavras já declaradas em outras oportunidades.