Para não ver o sonho do inédito ouro olímpico em casa acabar de maneira precoce, a Seleção Sub-23 do Brasil entra no gramado da Arena Fonte Nova, em Salvador, capital da Bahia, nesta quarta, a partir das 22h (de Brasília), precisando vencer a Dinamarca pela última rodada do Grupo A do torneio de futebol masculino das Olimpíadas Rio 2016.

Para isso, no entanto, os garotos dirigidos por Rogério Micale necessitam acabar com um incômodo jejum. Até o momento, em seus dois compromissos (África do Sul e Iraque), ambos no Mané Garrincha, em Brasília, o escrete canarinho não balançou as redes adversárias.

Pensando em corrigir essa deficiência, o treinador pode promover mudanças no time que atuou nos jogos anteriores.

Publicidade
Publicidade

Uma delas seria a saída de Gabriel Jesus, atacante do Palmeiras e, recentemente, negociado com o Manchester City, da Inglaterra. Nesse caso, o trio ofensivo viria com Luan (Grêmio), Gabriel (Santos) e #Neymar, que foi defendido pelo comandante em entrevista ocorrida após o treino de reconhecimento do estádio baiano. Para Micale, o astro e capitão da equipe vem sendo alvo de críticas injustas de torcedores e comentaristas.

"Se não analisarmos friamente, não tivermos uma transição dos craques, não os respeitarmos, logo eles não vão querer estar conosco. O Neymar quis estar na Olimpíada, e volto a dizer: ele assumiu uma situação e é muito cobrado por isso com 24 anos. São fatos para refletir", declarou o técnico, que, em sua cidade natal, pediu o apoio do público, confiando em uma arrancada do grupo rumo à final da competição, que será realizada no Maracanã.

Publicidade

"Como sou baiano de Salvador, gostaria que meu povo abraçasse a seleção, demonstrasse felicidade e começássemos aqui uma arrancada rumo a um sonho de todo brasileiro. Precisamos muito da ajuda da torcida", complementou.

Se empatar com a Dinamarca, o Brasil precisará torcer para não haver um vencedor entre Iraque e África do Sul, que se enfrentarão simultaneamente na Arena Corinthians, em Itaquera, zona leste de São Paulo. Além disso, precisará marcar um número de gols superior às duas seleções. Caso seja derrotada, passará pelo vexame da desclassificação no evento do qual é o país-sede. #Olimpíadas #Rio2016