Quanto custa uma medalha olímpica de prata ou bronze? Para a maioria dos atletas de todo o mundo, custa anos de treinamento e preparação. Mas para os brasileiros, custam muito mais. A Confederação Brasileiro de Tiro Esportivo e a Confederação Brasileira de Taekwondo são acusadas de desvios de recursos públicos que podem chegar a até R$ 22 milhões, de acordo com a ESPN. As investigações sobre os crimes já estão avançadas e, nesta quarta-feira (24), a Polícia Federal está cumprindo mandado de prisão de um dirigente esportivo, além de condução coercitiva e busca e apreensão de materiais nas sedes das duas entidades.

O mandado de prisão é contra o ex-dirigente da Confederação Brasileira de Vôlei,  Sérgio Borres, apontado como líder do esquema.

Publicidade
Publicidade

Também por determinação da justiça o presidente da Confederação Brasileira de Taekwondo, Carlos Fernandes, foi afastado de suas funções nesta manhã. A ação acontece poucos dias depois da exitosa campanha dos atletas brasileiros de Taekwondo nas olimpíadas. O lutador Maicon Andrade Siqueira conquistou a primeira medalha da história do esporte no Brasil, um valioso bronze. As ações da Polícia Federal acontecem nas cidades de Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Manaus e Caxias do Sul.

Entenda o  caso

De acordo com a Polícia Federal, dirigentes das confederações esportivas estavam usando documentos falsos para fraudar licitações e comprar equipamentos superfaturados. As entidades recebem dinheiro público, do Ministério do Esporte, para a aquisição destes equipamentos. O objetivo do Ministério era o de formar atletas competitivos para a Rio 2016.

Publicidade

Entretanto suspeita-se que a verba, ao invés de estar sendo aplicada na formação e aperfeiçoamento dos atletas olímpicos, era utilizada para enriquecimento ilícito dos dirigentes esportivos.

Um dos casos que levantou suspeita sobre a lisura das confederações foi a de compra de equipamentos eletrônicos para a Confederação Brasileira de Taekwondo. A Confederação disse ao Ministério do Esporte que comprou 60 câmeras ao valor unitário de R$ 2,4 mil. As investigações revelaram, entretanto, que a entidade recebeu câmeras avaliadas em cerca de apenas 200 reais, ou seja, um superfaturamento de mais de 1000%. O que se quer saber agora é: para onde foi esta diferença de R$ 2,2 mil em cada câmera, ou R$ 132 mil no total?

Em outro caso, uma empresa de distribuição de bebidas venceu a licitação para a venda de... tatames. A dona da distribuidora de bebidas já confessou que recebeu dinheiro apenas para fingir que participava do certame, sem entregar nenhum material. A empresa vencedora da licitação recebeu mais de R$ 400 mil para entregar o equipamento.

Publicidade

De novo: para quem foi este recurso?

Olimpíadas 2016: vencemos mesmo?

O que se sabe até agora é que o governo federal fez um grande investimento para que o Brasil alcançasse uma posição melhor no ranking de medalhas da Rio 2016. A meta era ficar entre as dez primeiras nações com mais medalhas. Não chegamos lá. Certamente parte deste fracasso (ou "sucesso incompleto", já que houve uma melhora em relação à Londres 2012) deve ser faturada na conta da triste cultura corrupta do país. Que os culpados sejam punidos e obrigados a devolver o que roubaram.  #Rio2016