O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) na tarde desta segunda-feira (01) condenou o centroavante Alecsandro do #Palmeiras a dois anos de suspensão por uso de doping. A substância proibida foi encontrada em exame realizado no início de abril após a partida do alviverde paulista contra o Corinthians pelo Campeonato Paulista. O jogador já cumpriu 30 dias preventivamente que deverão ser deduzidos desta pena proferida pelo TJD-SP através do voto de três dos cinco juízes do tribunal.

#Alecsandro contratou uma equipe de advogados para defendê-lo neste caso e já informou que os profissionais deverão recorrer da sentença imposta pelo TJD paulista.

Publicidade
Publicidade

A alegação da defesa do jogador é de que este utilizou um medicamento após implante capilar e esta substância em contato com o seu fígado teria produzido um anabolizante. Três médicos sustentam a tese dos advogados do atacante. 

O histórico de Alecsandro mostrando que em 15 anos de carreira jamais teve problemas com #Doping é considerado positivo pela defesa. Além disto existe o atenuante de que o jogador não tinha o conhecimento necessário para saber as consequências de um medicamento utilizado para o tratamento capilar.

Em depoimento à imprensa, o atacante do Palmeiras manifestou seu constrangimento por esta situação, principalmente por pertencer a uma família de atletas onde seu pai foi jogador de futebol e seu irmão Richarlyson também é atleta profissional. Alecsandro acrescentou que inclusive o presidente do Palmeiras o questionou se havia de fato consumido substância proibida. 

No entanto, no caso do jogador palmeirense existe o agravante de que a droga encontrada no seu organismo é do tipo que melhora o desempenho do atleta e queima gordura.

Publicidade

Isto teria beneficiado Alecsandro e contrariado as regras esportivas.

Outro fato que depõe contra o centroavante foi ter declarado que parou de consumir a substância em junho quando recebeu a notificação do tribunal, mas em maio quando da realização de outro exame não foi encontrada nenhuma substância no organismo do atacante do Palmeiras. A sentença do TJD será publicada em até 48 horas. A partir disto o clube terá três dias para recorrer.