A última semana foi uma das piores em toda a história de 86 anos do São Paulo #Futebol Clube. Na quarta-feira (24) estreou nas oitavas de final da Copa do Brasil sendo derrotado, em casa, por 2 a 0 para o Juventude, de Caxias do Sul, time que disputa a terceira divisão do Campeonato Brasileiro. E por falar em Campeonato Brasileiro, foi na disputa da 22ª rodada do torneio que, no domingo, o time de Ricardo Gomes empatou com o Coritiba em 0 a 0 diante de um Morumbi praticamente vazio, com pouco mais de 7,5 mil torcedores. O resultado deixou o tricolor na 11ª colocação, com 28 pontos, e a 4 colocações da zona de rebaixamento do nacional.

Antes da fria partida contra o Coxa Branca, um acontecimento lamentável deixou jogadores e dirigentes traumatizados e preocupados; na manhã de sábado a torcida organizada do clube invadiu o CT da Barra Funda, na Zona Oeste da capital paulista, para agredir e roubar pertences pessoais dos atletas, além de promover a depredação do patrimônio do São Paulo e furtar material utilizado nos treinos como bolas e camisas.

Publicidade
Publicidade

Os que mais sofreram com a violência dos são-paulinos foram o meio-campista Michel Bastos, o volante Wesley e o lateral esquerdo Carlinhos.

Mas há luz no fim do túnel para Ricardo Gomes e seus comandados que ganharam mais de uma semana de preparação para a dura batalha que o time tem pela frente, diante do Palmeiras, líder do Campeonato Brasileiro com 43 pontos, 15 a mais do que o Soberano. A partida, marcada para o Allianz Parque, acontecerá pela 23ª rodada do Brasileirão no dia 07 de setembro, às 21h45.

Com oito dias completos para criar um time conciso e eficiente, Ricardo Gomes pretende melhorar os desempenhos individuais de seus titulares afim de dar mais qualidade e precisão ao time buscando, obviamente, a recuperação na temporada. 

O longo período sem atuações oficiais também dá entusiasmo aos atletas que pretendem aproveitar o tempo para corrigir erros que tem custado um valor muito alto ao tri-campeão Mundial Interclubes (1992, 1993 e 2005).

Publicidade

Ciente dos problemas em campo, o capitão Maicon disse que o breve hiato servirá para que os atletas conheçam o estilo de jogo que Gomes pretende implementar à equipe para que, assim, possam atuar conforme definido por seu treinador a fim de conquistar a tão desejada, e necessária, vitória no Brasileirão.

Thiago Mendes também concordou que é possível melhorar o futebol do São Paulo com análises dos erros cometidos e, com maior tempo de preparação, criar estratégias para que o time não mais repita as falhas que fizeram o clube empacar no Campeonato Brasileiro. Ele também citou a falta de tempo que Gomes teve de encarar desde que desembarcou no tricolor, nesta sua segunda passagem, e que o impediu, até então, de imprimir seu método de jogo no elenco.

Para estes oito dias de treinos a diretoria são-paulina determinou que os portões do CT da Barra Funda permaneçam fechados. Portanto, a imprensa não acompanhará nenhum dia de trabalho de Ricardo Gomes. Somente na sexta-feira (02), pela manhã, é que os veículos de mídia poderão adentrar ao Centro de Treinamento mas deverão deixar o local antes do início do treinamento que será realizado à tarde.

Publicidade

Os desfalques para o Choque-Rei são muitos. Ricardo Gomes não poderá contar com o chileno Mena e o peruano Cueva, ambos a serviço de suas seleções nas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018; além de Buffarini, que cumprirá suspensão automática. O zagueiro Lucão, tão criticado pela torcida do São Paulo e fora dos planos do novo treinador, estará com a Seleção Brasileira e se não se recuperarem de suas lesões até, no máximo, terça-feira (6), também não poderão ajudar o time Gilberto, Rodrigo Caio e Bruno. #São Paulo FC #PaixãoPorFutebol