No final da tarde desta sexta, a Confederação Brasilera de Futebol (CBF) divulgou o trio de arbitragem do clássico da próxima quarta, às 21h45 (de Brasília), no Giulite Coutinho, em Édson Passos, distrito de Mesquita, região metropolitana do Rio de Janeiro, entre Fluminense e Corinthians.

Um dos confrontos de ida das oitavas de final da Copa do Brasil será dirigido por Elmo Alves Resende Cunha. Ele terá, como auxiliares, Cristhian Passos Sorence e Leone Carvalho Rocha. Todos pertencem ao quadro da Federação Goiana (FGF).

Com 41 anos, Elmo tem um histórico de erros grotescos que geraram inúmeros afastamentos. Em 2000, expulsou três jogadores do Vila Nova e assinalou um pênalti para o Goiás em um clássico daquele estadual.

Publicidade
Publicidade

Nove anos depois, validou um gol polêmico do Palmeiras no empate de 2 a 2 com o Sport, resultado que contribuiu, naquela ocasião, o rebaixamento da equipe rubro-negra pernambucana para a Série B.

Rivais desde 1933, Fluminense e #Corinthians se enfrentaram por 100 ocasiões e a vantagem é Tricolor com 36 vitórias, uma a mais em relação aos paulistas. Ainda houve 29 empates. Um dos mais marcantes foi no ano de 1952, quando cariocas e paulistas decidiram, em dois jogos no Maracanã, a Copa Rio, o Mundial de Clubes da época e o Flu, vencendo a primeira por 2 a 0 e conseguindo um 2 a 2 na segunda, levou a taça para as Laranjeiras. 

O troco veio nas semifinais do Brasileirão de 1976. Também no Maracanã, o Alvinegro de Parque São Jorge, que contou com metade dos quase 150 mil presentes a seu favor na chamada "Invasão Corintiana", eliminou a "Máquina Tricolor" ao vencer, nos pênaltis, por 4 a 1, após um empate de 1 a 1 no tempo normal.

Publicidade

No último dia 16 de junho, houve mais um capítulo dessa rivalidade. Pela oitava rodada do atual Campeonato Brasileiro, o #Fluminense, mandante do encontro, com um gol de Cícero, em rebote de pênalti batido por ele mesmo, aos 16 minutos do segundo tempo, derrotou o Corinthians, já sem Tite, por 1 a 0, em partida realizada no estádio Mané Garrincha, no Distrito Federal.  #PaixãoPorFutebol