Jorge Jesus não teve qualquer tipo de problema em admitir que quis abandonar o Sporting ao fim do primeiro mês no clube. Durante uma entrevista ao jornal “Record”, o técnico leonino garantiu que teve que fazer uma revolução no Sporting, chegando mesmo à direção.

Para Jesus, o Sporting não tinha as prioridades certas e, por isso mesmo, não conseguia ter tão bons resultados como os seus rivais. Nas redes sociais, muitos benfiquistas acreditam que Jesus quis desistir por notar rapidamente a enorme diferença que é a estrutura profissional do Benfica quando comparada com a do Sporting.

Foi no ano passado que Jorge Jesus protagonizou um das maiores traições da história do futebol português, trocando o Benfica campeão pelo Sporting, que já não vence o campeonato português há muito mais de uma década.

Publicidade
Publicidade

Sendo seu clube de coração, Jesus quis chegar e vencer, mas teve muitas dificuldades iniciais que não esperava encontrar.

“ Quando cheguei, e o presidente é minha testemunha, ao fim de um mês quis sair. “Olhei para o que tinha e pensei: ‘mas o que é isto?’ ”, revelou Jorge Jesus de forma surpreendente durante a sua longa entrevista ao jornal “Record”. Apesar de ter humilhado a capacidade da sua direção, a verdade é que o técnico agradece todo o sucesso recente do clube a Bruno de Carvalho, que tem feito de tudo para cumprir com os desejos de Jesus, contrariando as dificuldades econômicas que o time apresenta.

Apesar do início conturbado, questionando claramente o profissionalismo das pessoas que lideravam o clube até então, a verdade é que Jorge Jesus parece estar mais feliz do que nunca no clube do seu coração.

Publicidade

Atualmente no topo da tabela do Campeonato português, o técnico não gostou que Slimani e João Mário tivessem saído na última semana, mas garantindo que as contratações realizadas pelo seu presidente dão todas as garantias para o clube conseguir cumprir com os objetivos que foram traçados no início da temporada, ou seja, ser campeão português e chegar longa nas competições europeias. #Negócios #Futebol Internacional