A Revista France Football informou, nesta terça-feira (20), algumas alterações na edição de 2016 do Prêmio #Bola de Ouro que escolhe o melhor jogador do mundo. A primeira delas é que a premiação não contará mais com a parceria da FIFA, como ocorreu nos últimos seis anos. A segunda mudança é referente à entrega do troféu, que anteriormente ocorria no início do ano e agora será feita em dezembro.

Mas a alteração mais polêmica ficou por conta da votação da edição desse ano, que ficará sob a responsabilidade de um grupo de jornalistas. Muitos acreditam que isso possa desfavorecer Lionel Messi e #Cristiano Ronaldo, que venceram todas as edições da premiação com a fórmula anterior de votação, onde jogadores e técnicos de futebol também tinham direito a voto.

Publicidade
Publicidade

Dois fatos mostram claramente que #Lionel Messi e Cristiano Ronaldo devem se preocupar com as mudanças na escolha do vencedor do troféu Bola de Ouro. Em 2010, quando o argentino foi escolhido o melhor jogador do Mundo, na votação dos jornalistas o holandês Wesley Sneijder foi o vencedor alcançando 293 votos. O mesmo se repetiu três anos depois quando, em 2013, o português Cristiano Ronaldo foi agraciado com o prêmio. Se dependesse dos votos dos jornalistas, a Bola de Ouro ficaria com Franck Ribéry, que conquistou 524 votos da imprensa.

Por outro lado, existem versões que consideram essas mudanças positivas para a premiação, na medida em que poderá tornar a escolha mais dinâmica não se baseando em apenas dois nomes como ocorre há seis anos. E dentro dessa nova fórmula de escolha do vencedor do troféu Bola de Ouro, pelo menos um jogador em particular pode ver suas esperanças crescerem.

Publicidade

Trata-se de Antoine Griezmann, que atua no Atlético de Madrid, da Espanha. Pelo menos essa é a opinião jornal francês L'Équipe, que faz campanha para que o seu compatriota seja o escolhido.

O troféu Bola de Ouro foi instituído em 1956 e o primeiro ganhador foi o inglês Stanley Mattews. Até 1995, o prêmio era restrito apenas a jogadores europeus. Os argentinos Alfredo Di Stéfano e Omar Sivori foram agraciados com a premiação antes disso, mas como cidadãos espanhol e italiano, respectivamente. O primeiro cidadão não europeu a ganhar a Bola de Ouro foi o liberiano George Weah, em 1995. Somente a partir de 2007 o troféu passou a ter a participação de jogadores de outras partes do Mundo.