O #Goleiro Cássio estreou no Corinthians em 28 de março de 2012, em partida válida pelo Campeonato Paulista, em que o Timão venceu o XV de Piracicaba por 1 a 0, no Estádio do Pacaembu. Um mês depois, virou dono absoluto da posição, assumindo a vaga de titular, que era, até então, de Júlio Cesar. De lá para cá, construiu uma carreira de sucesso, com defesas milagrosas e títulos, que fizeram dele um dos maiores arqueiros da rica trajetória alvinegra. E os números provam isso: já é o quarto com mais partidas e o que tem melhor média de gols sofridos nos 106 anos de história de sua equipe. E este roteiro bem-sucedido terá mais um destaque especial nesta quarta-feira, no jogo contra o Fluminense, quando completará 250 jogos pelo time do Parque São Jorge.

Publicidade
Publicidade

“Fico muito feliz por ter atingido essa marca. Estava tão envolvido nos jogos que não prestei atenção nos números. Fico muito feliz em fazer parte da história”, disse Cássio. Embora lisonjeado com o momento, não perde de vista a importância da partida contra o Fluminense, que vale a continuidade na competição e mais tranquilidade para as próximas partidas do Brasileirão. “Nós precisamos desta classificação na #Copa do Brasil para darmos confiança ao time, para ganharmos moral. É fundamental nós passarmos de fase, e vamos fazer de tudo para conseguir a classificação contra o Fluminense”, completou. Mais uma vez, ele terá papel dos mais importantes. Se o #Corinthians não levar gol hoje terá a vaga assegurada, já que um empate em 0 a 0 ou uma vitória simples lhe assegura a classificação.

Publicidade

A chegada de Cássio ao Corinthians mudou o seu status como goleiro. Depois de ter se iniciado, em 2006, a carreira Grêmio, onde foi titular em apenas uma partida, foi negociado no fim do ano seguinte com o PSV Eindhoven, da Holanda. Ali ele foi aproveitado muito pouco, sendo, inclusive, cedido por empréstimo para o pequeno Sparta Rotterdam, na metade da temporada 2009/2010. Em setembro de 2011, encerrou o contrato com o PSV, sendo, enfim, contratado pelo Corinthians. Como ápice de sua carreira, cabe destaque especial à partida contra o Vasco pela Libertadores da América de 2012, em que fez uma defesa milagrosa em chute de Diego Souza e ajudou o Timão a seguir para a semifinal e, consequentemente, ao título e do Mundial de Clubes; e o Mundial de Clubes daquele mesmo ano, do qual foi eleito o melhor jogador daquela competição.

Goleiros com mais partidas pelo Corinthians

1º Ronaldo: 1988 a 1998 [602 jogos, 587 gols sofridos, média de gols sofridos 0,98];

2º Gilmar: 1951 a 1961 [395 jogos, 539 gols sofridos, média de gols sofridos 1,36];

 Cabeção: 1949 a 1966 [326 jogos, 444 gols sofridos, média de gols sofridos 1,36];

4º Cássio – 2012 a 2016 (contrato até 31/12/2019) [249 jogos, 196 gols sofridos, média de gols sofridos 0,78];

5º Bino: 1943 a 1951 [236 jogos, 399 gols sofridos, média de gols sofridos 1,69].