Como se espera de um grande clássico, muita coisa estará em jogo quando #Corinthians e Palmeiras entrarem em campo, neste sábado (17), às 16h, na Arena Corintiana. Para o alviverde, que se viu aliviado ao conquistar um empate no jogo de quarta-feira contra o Flamengo, uma derrota deverá significar a perda da liderança do campeonato, condição que vem mantendo desde o final do primeiro turno, quando terminou à frente de todos os seus adversários. Mas, mesmo um empate não serve para o Verdão, que, a depender da vitória do Mengão contra o frágil Figueirense, que jogam domingo, às 11h, no Estádio do Pacaembu, verá os cariocas ultrapassá-lo na tabela de classificação.

Publicidade
Publicidade

A pressão e a tensão também são grandes nos lados do Parque São Jorge. O Corinthians vem se sustentando aos trancos e barrancos entre os primeiros e é nítida a perda de fôlego do alvinegro em um momento crucial do campeonato. Ainda assim mantém chances reais de conseguir a sonhada vaga para a Libertadores. No entanto, nas últimas dez partidas pelo Brasileirão, o Timão perdeu quatro, ganhou três e empatou três, um aproveitamento de apenas 40%. Se forem levados em conta só os últimos cinco jogos, o rendimento cai ainda mais, para 33,33%, que é rigorosamente igual ao do Figueirense no mesmo período. A diferença é que os catarinenses se encontram na zona de rebaixamento para a Série B. Assim, uma derrota em casa para seu mais importante rival poderá significar para o treinador Cristóvão Borges a perda do cargo, como muitos apostam e desejam.

Publicidade

Cristóvão estreou em 22 de junho, na 10ª rodada, na derrota para o Atlético-MG por 2 a 1, quando o Corinthians estava em quarto lugar. No momento, está em quinto, mas paira muitas desconfianças sobre o time, e é exatamente isso, que fez minar a confiança dos torcedores no sucessor de Tite. E, com a saída de Roger Machado do Grêmio, criou-se uma sombra ainda maior sobre Cristóvão, embora a diretoria tente demonstrar apoio. Na quinta-feira (15 de setembro), foi preciso Eduardo Ferreira, diretor ajunto de futebol do Corinthians, convocar uma entrevista coletiva para respaldar seu treinador e bancar sua permanência. “O Roberto (de Andrade, presidente do Corinthians) esteve aqui semana passada e sempre mostrou esse apoio. Vim aqui para conversar, para não ficar esse diz que me diz”, ressaltou.

Como consolo, resta o fato de que, mesmo perdendo, o Corinthians ainda se manterá na mesma posição, condição que pode lhe assegurar uma vaga na fase preliminar da Libertadores de 2017. Já o #Palmeiras não tem a garantia da imobilidade na tabela.

Publicidade

Em função disso, e já mirando lá na frente, seus dirigentes e treinador já tiraram todas as calculadoras do armário e voltaram a fazer contas. “Faltam 13 rodadas e nós lutamos aí por oito vitórias, jogando seis partidas em casa. Tudo pode acontecer. Você pode perder a liderança em um momento e voltar em um outro momento, e nós estamos preparados para isso”, disse Cuca. Incertezas à parte, o certo é que o clássico valerá muito para ambas as equipes se contentem com um péssimo empate. Só isso já é promessa de um grande jogo nesta tarde de sábado. #Cristovão Borges