Pela necessidade da vencer de ambas as equipes, #Fluminense e #Figueirense disputaram um jogo franco na tarde deste sábado, no Giulite Coutinho, em Édson Passos, distrito de Mesquita, região metropolitana do Rio de Janeiro. No final, o Tricolor foi mais competente e obteve a vitória na partida remarcada da 18ª rodada do Campeonato Brasileiro por 3 a 2.

Com esse resultado, a agremiação das Laranjeiras ficou mais perto do objetivo de encerrar a Série A no G-4, grupo dos classificados para a próxima edição da Taça Libertadores da América. No momento, está em oitavo lugar somando 34 pontos, três a menos em relação ao Corinthians, quarto colocado.

Publicidade
Publicidade

Ambos voltam a campo na quarta, feriado de 07 de setembro, às 16h (de Brasília). Enquanto o Fluminense irá até a Arena da Ilha do Governador, no Rio, para o clássico estadual diante do Botafogo, o Figueirense, que, com o revés, permaneceu nos 24 pontos e na 18ª posição, recebe, no Orlando Scarpelli, o Atlético-PR. 

O primeiro tempo deu a impressão de que o Flu não teria qualquer dificuldade na partida. Com Renato Chaves substituindo Gum e a surpreendente entrada de Pierre no meio, o Tricolor dominou amplamente o time catarinense. Aos 13 minutos, Wellington fez bela jogada pela esquerda e cruzou para Gustavo Scarpa, como um autêntico centroavante, dar um leve toque de cabeça, mandando a bola no canto esquerdo: 1 a 0.

Aos 20, Scarpa bateu um escanteio pela direita, Cícero tentou encobrir Gattito Fernandez.

Publicidade

O goleiro do Figueirense espalmou, mas Renato Chaves apenas escorou de testa para ampliar a vantagem tricolor, que poderia ter sido ainda maior caso tivesse aproveitado outras oportunidades, duas com Henrique Dourado e uma incrível com Cícero, que, livre, cabeceou em cima do arqueiro do time de Florianópolis.

Veio a segunda etapa e Levir surpreendeu ao tirar Pierre para a entrada de Marquinho. A ousadia de seu treinador, no entanto, acabou sendo prejudicial para o Fluminense, pois deu mais espaços ao Figueirense, que aproveitou para, com um belo gol de Carlos Alberto logo aos três minutos e de Nirley, aos 15, ganhando, de cabeça, da zaga tricolor, igualar o confronto.

A partir desse momento, tanto cariocas quanto catarinenses partiram em busca do resultado positivo. Melhor para o Fluminense. Aos 33 minutos, Wellington Silva recebeu passe pela direita e cruzou. Magno Alves, que, pouco tempo antes, havia entrado na vaga de Henrique Dourado, mergulhou e, de cabeça, voltou a colocar a equipe do Rio em vantagem.

No último lance, Ayrton cobra falta para a área, Nirley tromba com Diego Cavalieri e a bola vai para o fundo das redes. O árbitro Rodrigo Batista Raposo parecia que havia validado o gol, mas, na realidade, havia marcado falta no goleiro tricolor. Apesar da revolta dos jogadores do Figueirense, o placar não se modificou para alívio e festa dos mais de 6 mil presentes ao Giulite Coutinho.  #PaixãoPorFutebol