Que o #Flamengo está pagando sua imensa dívida e é o clube brasileiro que melhor administra os seus recursos financeiros, todo mundo já sabe. O que ninguém sabia é que o Flamengo cresceria tanto, em um pequeno período de tempo, com números que chegam a assustar, ultrapassando clubes, como Corinthians e Palmeiras, que também têm alto faturamento e marcas muito valiosas. Pelo segundo ano consecutivo, o Flamengo fica com a primeira posição no ranking de marcas de clubes brasileiros mais valiosas do mercado.

As receitas do time carioca tiveram um grande crescimento em 2014, com cerca de 27% a mais, em comparação ao ano anterior.

Publicidade
Publicidade

Esse crescimento representou um acréscimo de R$ 74 milhões nos cofres do rubro-negro, que fez também com que o clube pulasse da terceira posição para a primeira dessa lista. A receita total do clube apresentou uma evolução de 170% nos últimos cinco anos. E as receitas sem atletas aumentaram 156% na mesma época.

Confira o gráfico abaixo:

No gráfico acima podemos ver o crescimento assustador do clube carioca em valor gerado para sua marca. Entre 2011 e 2015, o rubro-negro teve uma evolução de nada menos que R$ 554 milhões. Seguido por Corinthians com R$ 374 milhões, Grêmio com R$ 365 milhões, Cruzeiro com R$ 361 milhões, e para fechar o 'top five', o Inter com R$ 302 milhões.

Com a boa gestão do presidente do Flamengo, Bandeira de Mello, o valor de mercado do Flamengo cresceu. A confiabilidade no clube como parceiro de negócios também.

Publicidade

O que faz com que o faturamento com patrocínios aumente a cada ano. Não podemos esquecer ainda, que o clube tem a maior torcida do Brasil, outro fator que ajuda nos negócios, já que tem a maior gama de consumidores do país.

Em 2009, no ano do Hexacampeonato, o Flamengo também foi líder desse ranking, mas desde então perdeu espaço para o Corinthians, que ficou durante alguns anos na liderança. O São Paulo, porém, viu pela primeira vez o valor de sua marca cair, e os líderes Flamengo e Corinthians começarem a se distanciar cada vez mais. #Economia #Campeonato Brasileiro