Além de manter o sonho do bi da Copa do Brasil, o #Fluminense, a partir das 21h45 (de Brasília) desta quarta, na Arena de Itaquera, em São Paulo, no confronto de volta das oitavas de final do torneio, tem o desejo de ampliar a vantagem sobre o Corinthians no histórico do clássico. Até o momento, os rivais estiveram frente a frente em 101 ocasiões e o Tricolor das Laranjeiras se saiu melhor em 36, uma a mais em relação ao Alvinegro de Parque São Jorge. Ainda houve 30 empates.

O jogo que assegurou a vantagem ao Fluminense foi realizada no último dia 16 de julho. Na época, ambos se enfrentavam no Mané Garrincha, no DIstrito Federal, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro e, com um gol de Cícero, aproveitando rebote do goleiro Cássio em cobrança de pênalti, o Tricolor venceu a partida por 1 a 0.

Publicidade
Publicidade

Há quase um mês, Fluminense e #Corinthians se enfrentaram no Giulite Coutinho, em Édson Passos e ficaram no 1 a 1. Com esse resultado, os paulistas, vencendo ou com um simples 0 a 0, avançam para as quartas da Copa do Brasil. Já os cariocas, além de uma vitória por qualquer marcador, garantem vaga com empates a partir de 2 a 2. Havendo repetição do placar anterior, o classificado será definido nos pênaltis.

Apoteose tricolor no Mundial de 1952

Um dos capítulos marcantes na história do clássico foi escrito no ano de 1952. Naquele ano, Fluminense e Corinthians, em dois jogos realizados no Maracanã, decidiram a Copa Rio, o Mundial de Clubes daquela temporada. No dia 30 de julho, o Tricolor não se intimidou e derrotou o adversário por 2 a 0. Três dias depois, com 65.946 presentes ao estádio, a agremiação das Laranjeiras levou a taça com um empate de 2 a 2.

Publicidade

Invasão corintiana para a Máquina Tricolor em 1976

Em 1976, o Fluminense, graças ao estilo ousado de Francisco Horta, seu presidente naquele período, montou um elenco recheado com grandes nomes do futebol brasileiro e sul-americano. Rivellino, Dirceu, Pintinho, Doval, dentre outros, compunham a famosa "Máquina Tricolor" e decidiram a vaga para a final daquele Brasileirão contra o Corinthians. Para brecar a força carioca, o Alvinegro, além da garra de seus jogadores, contou com o carinho de mais de 70 mil apaixonados que ignoraram a distância entre Rio e São Paulo para invadir o Maracanã, dividindo as arquibancadas com os torcedores da equipe carioca e, nos pênaltis, em um domingo bastante chuvoso, eliminarem os favoritos por 4 a 1. Defendendo duas cobranças (Carlos Alberto Torres e Doval), Tobias foi o herói do feito corintiano. #PaixãoPorFutebol