Em 2014, o #Corinthians ficou de olho em uma jovem promessa do #Futebol paraguaio. O clube paulista começou uma negociação para  tentar contratar o jovem Sergio Díaz, mas, quando ouviu o valor, desistiu da negociação com o jogador. 

A pedida pelo atleta era alta, cerca de 2,5 milhões de dólares, por 50% dos seus direitos econômicos. Hoje, Sergio Díaz, é uma sensação do #Real Madrid e chamado de gênio pelos jornalistas espanhóis. Sergio é, desde jovem, uma grande promessa do futebol paraguaio e foi monitorado pelo Corinthians por algum tempo. Pelo seu talento evidente, ganhou o apelido de "Aguero Paraguaio". 

Na Libertadores 2016, ele marcou um gol contra a equipe paulista, quando defendia as cores do Cerro Porteño.

Publicidade
Publicidade

Sérgio foi contratado pelo Real Madrid por 5 milhões de euros. Com somente três jogos pela equipe de Madrid, marcou o seu terceiro gol. 

Esse outro caso demonstra que o Corinthians vem perdendo muitas oportunidades ultimamente. Em 2013, perdeu o zagueiro Marquinhos para a Roma. Pouco tempo depois, o zagueiro foi negociado com o PSG por uma quantia de 34 milhões de euros. Esse caso rende muitas críticas aos dirigentes corintianos. 

Com um novo desmanche sofrido pela equipe, o clube vai ter que recorrer as suas categorias de base para tentar conquistar mais um título brasileiro. 

Um grande exemplo é a do lateral Leo Príncipe, com a convocação de Fagner para a seleção brasileira, vem ganhando espaço no time principal, aumentando a sua experiência e , quem sabe, buscar a titularidade definitiva na equipe. 

Os atacantes Léo Jabá e Gabriel Vasconcelos, podem também ser aproveitados por Cristóvão Borges.

Publicidade

Uma das maiores críticas da torcida em Tite, era a falta de espaço para os jovens da base, mas, com Cristóvão Borges, já se nota que eles terão mais chances no Corinthians. 

O ataque do Corinthians, hoje, conta com Lucca, Romero, e o recém-chegado, Gustavo, que estava atuando pelo Criciúma na disputa da segunda divisão do Campeonato Brasileiro.

Gustavo já chega com a responsabilidade de reerguer o ataque corintiano.