A expectativa era enorme sobre o jogo do #Palmeiras contra o #Flamengo, realizado nesta quarta-feira (14). A partida era válida pela 25ª rodada do Brasileirão, mas valia mais, a liderança, tanto para um quanto para o outro. No final. o empate em 1 a 1 deixou tudo como estava.

O Flamengo começou melhor o jogo, enquanto o Palmeiras esperava o rubro-negro buscando sair nos contra-ataques. Mas essa estratégia não foi bem-sucedida. Assim a partida seguiu sem chances claras de gol. A melhor delas surgiu aos 43 minutos, quando Gabriel Jesus, que roubou a bola de Réver na saída de bola dos cariocas, invadiu a área e chutou forte.

Publicidade
Publicidade

Mas o goleiro Muralha conseguiu fazer uma excelente defesa.

No entanto, tirando este lance e a expulsão de Márcio Araújo, três minutos antes, a torcida palmeirense teve poucos motivos para celebrar. Com um homem a menos, o técnico Zé Ricardo tirou Diego e colocou o volante colombiano Cuellar. “A gente precisava fortalecer o centro da área. O Diego vem de uma sequência de cinco e tem muita vontade. Entendia que precisaríamos jogar pelos lados, que era uma chance de podermos vencer”, justificou Ricardo ao final do jogo.

Se a saída de Diego representou queda de qualidade em campo, não faltou luta para aqueles que ficaram em campo. No retorno para o segundo tempo, o técnico Cuca mudou seu time, colocando o paraguaio Lucas Barrios no lugar do volante Gabriel Girotto. Aos 13 minutos, Roger Guedes saiu para dar lugar a Cleiton Xavier.

Publicidade

Apesar das alterações e da entrega, o Palmeiras seguiu com pouca criatividade e inofensivo. Para piorar, aos 17 minutos entrou Allan Patrick no lugar de Gabriel (do Flamengo). E coube justamente ao camisa 17 abrir o placar imediatamente após sua entrada: bastaram um toque na bola e apenas cinco segundos em campo. “Fui feliz e na primeira oportunidade consegui fazer o gol. Isso nos deu tranquilidade. Estamos de parabéns pela superação, pelo gol e vamos continuar forte”, disse o iluminado artilheiro.

Cuca reagiu colocando Rafael Marques no lugar de Tchê Tchê, enquanto via Gabriel Jesus tomar seu terceiro cartão amarelo depois de falta sobre Leandro Damião, que custará a ausência do craque no clássico contra o Corinthians. E quando tudo parecia confirmar a vitória flamenguista, Gabriel Jesus, aos 38 minutos, marcou seu 11º gol no Campeonato Brasileiro. O lance nasceu de uma bola lançada na cobrança de um lateral por Moisés, que encontrou a cabeça de Yerri Mina e reboteou em um flamenguista, chegando até o jovem atacante na linha da grande área.

Publicidade

Jesus limpou e chutou forte próximo à meia-lua, vencendo Muralha pela primeira vez na partida. “Eu joguei 100% e se não tivesse 100% não tinha porquê estar no campo hoje. No gol eu fui abraçar os fisioterapeutas, pois me ajudaram bastante e devo muito a eles”, destacou o craque.

Aos 47 minutos, uma bomba de Moisés quase tirou de novo o grito de gol da torcida alviverde, mas o goleiro flamenguista buscou com a ponta dos dedos uma bola que tinha endereço certo. Na sequência, Yerri Mina cabeceou a bola que veio do escanteio, mas errou o alvo. E assim o jogo se encerrou, com um Palmeiras aliviado com o resultado conquistado e o Flamengo celebrando um empate que mantém fresco o “cheirinho de hepta” cantado por sua torcida. “Foi fundamental o apoio que os torcedores nos deram no aeroporto, pois foi de onde tiramos a raça para usar aqui hoje”, celebrou o flamenguista Leandro Damião. #Brasileirão