A Portuguesa encerrou neste domingo (18 de setembro) mais um triste capítulo em sua história de 96 anos, com o #Rebaixamento para a Série D do Campeonato Brasileiro. A Lusa precisava vencer o Tombense, da cidade de Tombos, na Zona da Mata mineira, na casa do adversário, no Estádio Antônio Guimarães de Almeida, e torcer para que o Macaé não passasse de um empate contra o Botafogo-SP. Este empate realmente veio: 1 a 1. No entanto, apesar da luta desesperada, a Lusa não foi páreo para a equipe mineira, que venceu por 2 a 0. Os gols foram marcados por Alex, aos 28 minutos do primeiro tempo, e Bileu, na etapa complementar.

Com mais esta queda, já são quatro rebaixamentos num período de apenas três anos.

Publicidade
Publicidade

Este período sombrio começou em 2013, quando a Lusa perdeu quatro pontos depois de ser punida pela escalação irregular do meia Héverton. Assim trocou de lugar com o Fluminense e teve de disputar a Série B do Brasileirão do ano seguinte. Em 2014 caiu para a #Série C do Nacional e, no ano passado, conseguiu a proeza de ser rebaixada para a A2 (segunda divisão) do Campeonato Paulista. O mau momento é reflexo da desorganização administrativa e financeira que o clube entrou, representado pela passagem de três presidentes no curto período de três anos.

Ao final, o técnico Márcio Ribeiro, que assumiu o lugar de Jorginho e dirigiu a equipe paulistana nos últimos quatro jogos, expressou a confiança de dias melhores, embora nem ele próprio saiba se seguirá ou não à frente do time. “Eu já disse que, independentemente do resultado aqui hoje, a #Portuguesa é uma equipe muito grande: vice-campeã brasileira, campeã paulista.

Publicidade

Mas não se arruma em quatro jogos. Tem de se fazer uma reflexão e já começar um planejamento a partir de terça, quarta-feira, para renascer uma nova Portuguesa, como fez a equipe do Santa Cruz, que hoje está na Série A”, ressaltou o técnico ao final do jogo. O treinador é o mesmo que fez um excelente trabalho no Água Santa, tirando o time de Diadema da Segunda Divisão Paulista (em 2013) e, com três acessos consecutivos, levou o pequeno clube à divisão principal do Paulista.

A Série C

Do lado do Tombense, o time ficou a um ponto de conseguir uma das quatro vagas para a fase final da Série C. O técnico Moacir Júnior lamentou muito a perda da chance de ir mais longe por tão pouco. “Agora é um momento de reflexão, pois foi um pontinho que faltou, mas não faltou determinação. Ganhamos quase todos os jogos em casa. É minha quarta passagem e o Tombense sai muito mais respeitado no cenário nacional depois desta participação”, frisou. No grupo B, o mesmo de Tombense e Portuguesa, se classificaram para as quartas de final Guarani (SP), Boa Esporte (MG), Botafogo (SP) e Juventude (RS). No grupo A, Fortaleza (CE) e ABC (RN) já estão garantidos e Botafogo (PB), ASA e Remo (PA) lutam por duas vagas.