A crise no São Paulo é clara e precisa ser afastada com uma vitória contra o Palmeiras, líder do Campeonato Brasileiro, com 43 pontos, quinze a mais que o tricolor.

A tarefa não é nada fácil mas um êxito pode devolver a paz ao elenco são-paulino e, claro, dar tranquilidade também ao recém contratado técnico Ricardo Gomes que, desde que assumiu o clube paulista, nesta que é a sua segunda passagem pelo time que defendeu atuando como zagueiro, ainda não venceu uma única partida.

O clima, que já vinha piorando desde a eliminação na Copa Libertadores da América para os colombianos do Atlético Nacional, campeões do torneio sul-americano, esquentou depois da derrota, por 2 a 1, na primeira partida das oitavas de final da Copa do Brasil, para um time que disputa a terceira divisão do Campeonato Brasileiro, o Juventude, de Caxias do Sul (RS).

Publicidade
Publicidade

A decepção, novamente, aconteceu em pleno Estádio Cícero Pompeu de Toledo onde, como mandante, o tricolor tem amargado insucessos com knockouts e empates como o do último domingo, sem gols, contra o Coritiba, pela 22ª rodada do Brasileirão.

Na manhã do último sábado (27), membros da torcida Independente do São Paulo invadiram o CT da Barra Funda para cobrar atitude dos atletas são-paulinos. Inflamados com muita revolta, os torcedores agrediram fisicamente jogadores como o meio-campista Michel Bastos, o volante Wesley e o lateral esquerdo Carlinhos; furtaram pertences pessoais dos atletas e materiais que são utilizados nos treinos como bolas e camisas. 

O resultado do descontentamento da torcida e do trauma dos comandados de Ricardo Gomes foi um São Paulo X Coritiba sem a menor graça com os visitantes, próximos da zona de rebaixamento, preocupados apenas em não tomar gol.

Publicidade

O tricolor, por sua vez, criou poucas chances e todas elas pararam nas defesas do goleiro Wilson, do Coxa. Acostumado com casa cheia, o São Paulo viu pouco mais de 7,5 mil nas arquibancadas e, mesmo assim, foi vaiado pelo pífio #Futebol que apresentou.

Para virar o jogo o treinador já está tomando atitudes no sentido de desenhar um esquema que se adapte ao seu modo de trabalho e que possa devolver o grande tricolor paulista, tricampeão da Libertadores e tricampeão do Mundial de Clubes da FIFA - algo que poucos clubes, no mundo, podem ostentar -, ao seu devido posto dentro do futebol brasileiro.

Na manhã desta quinta-feira (1º), um coletivo no CT da Barra Funda, Zona Oeste da capital paulista, contou com as presenças de Wesley e Luiz Araújo entre os titulares que disputaram o rachão contra reservas e jogadores da equipe Sub-20 são-paulina.Esta foi a primeira vez que Ricardo Gomes ensaiou escalando um time durante os treinamentos que acontecem desde a última terça-feira. 

O primeiro provável time titular do São Paulo para o clássico contra o Palmeiras, dia 7 de setembro, na Arena Allianz Parque, deve ter Denis no gol; Carlinhos, Wesley, o capitão Maicon e Lugano fazendo a contenção na zaga; Thiago Mendes, João Schmidt e Hudson cuidando das laterais e do meio campo do tricolor; Luiz Araújo e Kelvin adiantados pelas laterais para possibilitar lançamentos a Chávez, adiantado no ataque do Soberano.

Publicidade

Michel Bastos permaneceu atuando entre os reservas e atletas da base do São Paulo enquanto Ricardo Gomes observava o desempenho do centroavante Gilberto e do meio-campista Daniel.

Para o Choque-Rei, o tricolor paulista não deve ter em campo o zagueiro Rodrigo Caio, em tratamento por lesão causada por estiramento no músculo adutor da coxa direita, e Bruno, lateral-direito que enfrenta o mesmo problema do companheiro de elenco, mas na coxa esquerda. Além da dupla, o São Paulo não poderá contar com Breno, Lucas Fernandes e Ytalo, todos com lesões de ligamento cruzado em seus joelhos e que não devem retornar mais nesta temporada.

 A dura batalha contra o Palmeiras, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro, está marcada para acontecer na Arena Allianz Parque, dia 7 de setembro, às 21h45.

  #São Paulo FC #PaixãoPorFutebol