O #Futebol profissional em #Santa Catarina chegou em 1924 com a fundação da Liga Santa Catharina de Desportos Terrestres e seis meses depois realizou o primeiro campeonato catarinense, tendo a participação de seis clubes de Florianópolis. Em 29 de junho de 1924, Internato 3 x 1 Florianópolis foi o primeiro jogo oficial no estado. No entanto, foi uma profissionalização tardia, já que nos estados vizinhos da região sul, o futebol já tinha chegado em 1915, no Paraná, e 1919 no Rio Grande do Sul

A Confederação Brasileira de Desportos (CBD) percebeu que existia um contingente de torcedores espalhados que não torciam por clubes de origem, especialmente dos clubes paulistas e cariocas.

Publicidade
Publicidade

Pensando nisso, a CBD criou a Taça #Brasil, com o objetivo de haver uma competição de nível nacional, a participação de clubes de todos os estados e na qual houvesse interação entre eles e seus torcedores mais distantes.

Em 2016, a 61ª edição do Campeonato Brasileiro contará com dois clubes catarinenses na primeira divisão: Chapecoense e Figueirense. No decorrer desses 59 anos de disputas de campeonato nacional, Santa Catarina esteve presente 46 vezes na série A e permanece há 15 anos consecutivos entre os vinte melhores times do Brasil. No entanto, existe uma grande parcela dos torcedores catarinenses que ainda prefere apoiar os clubes de fora do estado.

Em pesquisa realizada pela agência Pluri Stochos de 2013, que consiste em analisar o número de torcedores de todos os clubes do Brasil, somente na região sul revela que 2,4% dos entrevistados declaram-se avaianos, ficando na nova colocação e sendo o único time catarinense entre as dez maiores torcidas da região.

Publicidade

Por que isso acontece? O que leva os aficionados catarinenses a se tornarem torcedores apaixonados de clubes de outros estados.

Para o historiador Francisco Braun Neto, os meios de comunicação podem ter influenciado diretamente na escolha dos clubes pelos catarinenses: “A mídia pode ter influència sim na hora da escolha, por exemplo, nos tempos auge do Botafogo e Santos nos anos 1960, havia na região bastante torcedores das duas equipes. Nos anos 1970 e 1980, Itajaí praticamente se dividia entre Vasco e Flamengo, o que ainda é influente. A partir dos anos 1990, aparecem torcedores do São Paulo, Palmeiras e Corinthians devido a suas campanhas em termos de Libertadores e Mundial de Clubes. O Corinthians iniciou sua popularização nos anos 1980, com a democracia corintiana, liderada por Sócrates e Casagrande”.

Existe a possibilidade, levantada por Francisco, de que foi à chegada de migrantes gaúchos para o oeste e os marinheiros cariocas para o litoral: “Um dos motivos talvez passe pela ideia de identidade, por exemplo, o oeste catarinense e extremo oeste catarinense receberam migrantes do Rio Grande do Sul.

Publicidade

Daí a influência dos times gaúchos, principalmente Internacional e Grêmio. No litoral, a vinda de marinheiros no final do século XIX e início do XX para Itajaí e Florianópolis das regiões sudeste e nordeste, inclusive Rio de Janeiro, também influenciaram nessa escolha por clubes de fora”.

Para o historiador, essa situação vem sendo revertida pela ascensão dos clubes catarinense no cenário nacional: “Pode mudar e está mudando, veja que a presença mais frequente de clubes catarinense nas séries A, B, C e D do brasileiro tem criado uma maior identificação entre o torcedor e o time local. É bom lembrar que mesmo torcendo por uma equipe de outro estado, o torcedor já começou a olhar com outros olhos e a torcer pelo clube da sua cidade”.