Quando o Santos imaginava que pudesse ter dinheiro em caixa para quitar suas dívidas mais imediatas a partir da negociação do atacante #Gabigol para a Inter de Milão, eis que surge um impedimento jurídico que irá podar os planos da direção santista.

De acordo com matéria do site ESPN. a empresa Sport 10 Licenciamentos do Brasil, responsável por gerenciar a imagem do Pelé, ingressou com uma ação na justiça intimando o #Santos a depositar R$ 2,8 milhões de reais referentes à venda de Gabriel Barbosa para o futebol italiano, ocorrida no mês passado. 

O Santos havia oferecido o Estádio Urbano Caldeira (Vila Belmiro) como penhora para a quitação da dívida, mas a Sport 10 não aceitou por entender que o imóvel não possui liquidez no mercado.

Publicidade
Publicidade

Um ofício foi enviado ao presidente santista, Modesto Roma, para que esse fizesse o depósito do dinheiro assim que a Inter pagasse a parcela referente à negociação envolvendo o Gabigol. O não cumprimento dessa determinação implicaria em crime de desobediência. 

O juiz Felipe Poyares Miranda autorizou o envio do tal ofício encaminhado no último dia 9 ao Banco do Brasil, onde determina o bloqueio do dinheiro da negociação envolvendo a transferência de Gabriel Barbosa para a Itália. A intimação ao Peixe chegou ontem ao Foro de Santos, encaminhada ao presidente Modesto Roma, determinando que os R$ 2,8 milhões fossem depositados. 

Ações jurídicas entre o Santos e o maior jogador da história do clube não são novidade nos últimos anos. A empresa que cuida dos direitos do Rei do Futebol já havia pedido em outra oportunidade a penhora dos direitos de TV que caberiam ao Santos como parte do contrato assinado com o Esporte Interativo.

Publicidade

A iniciativa ocorreu logo após a penhora da Vila Belmiro. 

O eterno camisa 10 do Santos tem ainda outras pendências jurídicas contra o seu "clube do coração." Uma delas está relacionada ao seu trabalho como garoto-propaganda do clube, assinado ainda na administração do ex-presidente Odílio Rodrigues, onde Pelé se comprometeu a divulgar a imagem do Santos pelo resto da vida. No entanto, existem valores que não foram pagos e estão sendo cobrados por conta desse contrato. Existe ainda uma segunda ação no valor de R$ 600 mil reais. 

A Sport 10 informou à reportagem da ESPN que tentou negociar um acordo com o clube paulista para o pagamento dessas dívidas, mas não houve acordo. Enquanto isso, Pelé, com receio de ver manchada sua imagem junto ao torcedor que o idolatra, alega que as ações judiciais são movidas pela empresa e não pelo Rei do Futebol. Algo que ele fez a vida inteira, falando a seu respeito muitas vezes na terceira pessoa.  #Pelé