Há 10 dias, o técnico #Cuca do #Palmeiras causou um alvoroço entre jogadores, torcedores e dirigentes do clube ao declarar que tinha intenção de retornar ao futebol chinês em 2017. Como se não bastasse, o técnico palmeirense revelou ainda seu desejo de, no futuro, treinar o Vasco da Gama que, nesse momento, está passando por uma fase ruim na Série B, onde não vence há quatro partidas. 

As manifestações do treinador da equipe paulista repercutiram imediatamente junto aos principais jogadores do time. O "interminável" Zé Roberto chegou a dizer que não acreditava que o Cuca abriria mão de disputar mais uma Libertadores da América onde o Palmeiras deverá entrar como um dos favoritos. 

Pois bem, passados alguns dias e um certo mal-estar entre dirigentes e torcedores do Verdão, surge a informação de que o Cuca estaria elaborando uma lista de reforços para 2017.

Publicidade
Publicidade

Essa atitude pressupõe claramente, salvo algum engano, uma ideia de continuidade do atual treinador. Nessa relação constaria um lateral-direito, um segundo atacante e um meia.

Boatos dão conta de que essa súbita mudança de postura do técnico Cuca estaria relacionada ao encontro que teve durante a semana com Maurício Galiotte, candidato da situação que disputará a presidência do Palmeiras em novembro. Galiotte teria dito que gosta muito do trabalho do atual treinador palmeirense e que o seu contrato será renovado, caso o atual vice-presidente do clube paulista seja eleito. 

O que poderia ter feito com que o Cuca se precipitasse com relação ao seu futuro pode estar ligada à declaração do presidente Paulo Nobre, há alguns dias dizendo que deixaria a questão da renovação ou não do atual treinador para o seu sucessor, após a eleição para a presidência do Palmeiras.

Publicidade

Sendo uma pessoa experiente no mundo do futebol como técnico e jogador, o comandante do Verdão decidiu se antecipar deixando claro que não ficaria refém de uma eventual mudança de planos da presidência do Palmeiras. Na verdade, o veterano Cuca apenas blefou para ver qual seria a ação dos dirigentes, pois todos sabem que não gostaria de retornar à China onde, apesar do alto salário, a sua família não se adaptou bem.  #Paulo Nobre