A trigésima rodada do Brasileirão trouxe um novo tempero para o campeonato. Com líder e vice-líder em campo, estavam em jogo pontos importantes, cuja conquista ou perda poderiam definir muito do que esperar nesta reta final da disputa. Quem se deu melhor foi o #Flamengo, que, jogando no Estádio Raulino de Oliveira, na cidade de Volta Redonda, superou o rival Fluminense por 2 a 1, chegando aos 60 pontos e diminuindo a distância para o Palmeiras para apenas um mísero ponto.

Já o Verdão viu sua gordura de vantagem ser lipoaspirada ao empatar com o Cruzeiro em 0 a 0, em partida disputada no Estádio da Fonte Luminosa, em Araraquara.

Publicidade
Publicidade

Este jogo teve dois tempos distintos, com o time de Cuca dominando as ações nos primeiros 45 minutos, criando bastante e tendo chances claras de abrir o placar. Já no segundo, o Cruzeiro foi o senhor do jogo e só não marcou porque Zé Roberto, aos 18 minutos, com um carrinho sensacional, salvou uma bola improvável chutada pelo ex-palmeirense Robinho, que estava prestes a cruzar a linha fatal.

"Tivemos oportunidades claras até o último lance (do primeiro tempo). Jogamos bem e controlamos o adversário. No segundo tempo, o Cruzeiro se fechou mais e jogou no contra-ataque. Não conseguimos ter iniciativa e, em alguns momentos, eles tiveram o contra-ataque", analisou Cuca ao final da partida.

Com o resultado “ruim” longe de sua casa, o Allianz Parque, o #Palmeiras já vê o Flamengo colado no seu retrovisor e já não tem margem para errar.

Publicidade

O Rubro-Negro soube se impor jogando como visitante no Raulino de Oliveira. Logo aos 12 minutos do primeiro tempo saiu na frente, com gol dado a Leandro Damião. No entanto, logo no início da segunda metade, com apenas dois minutos o Flu empatou com Marcos Júnior, depois de uma assistência de cabeça feita por Cícero. No entanto, o Tricolor das Laranjeiras não teve forças para segurar o placar e viu Jorge fazer 2 a 1 para o Rubro-Negro.

O jogo seguiu em banho-maria, mas, aos 39 minutos, aconteceu o lance que vai ser alvo de discussão nas mesas-redondas esportivas e nas rodinhas de amigos. Henrique cabeceou para as redes, depois de uma falta batida da esquerda. O bandeirinha acusou o impedimento imediatamente. Inicialmente, o árbitro Sandro Meira Ricci, de Santa Catarina, anulou o gol; em seguida, confirmou; e, depois de uma confusão, anulou em definitivo o gol do Tricolor. Anulou acertadamente, é fato, porque o gol foi irregular. No entanto, a decisão do juiz veio depois de provável influência externa.

Publicidade

“Ele tinha de ter convicção. Ou dar ou não dar. Ele deu e depois voltou atrás”, reclamou o atacante Magno Alves.

O jogo só reiniciou seis minutos depois. Mas o Flu, embora tenha tido novas chances para empatar, não conseguiu seu intento. Perdeu o jogo e também a quinta colocação na tabela para Botafogo. Melhor para o Fla, que mantém vivo o sonho do título. “A gente tinha de entrar para vencer e vencemos. A gente tem de pensar na gente, fazer a nossa parte e ver na frente o que acontecer”, ressaltou o flamenguista Marcelo Cirino. Já o atacante Fernandinho, que foi substituído por Cirino, resumiu um pouco do espírito rubro-negro: “Se não dá na técnica, dá na raça. E felizmente foi isso que aconteceu hoje”. O próximo jogo do Flamengo será domingo (16 de outubro) contra o desesperado Internacional, no Beira-Rio. Já o Palmeiras também pega no mesmo dia outro que luta para não cair, o Figueirense, no Orlando Scarpelli. #Reta final do Brasileirão