Mais um capítulo de horror foi escrito na história de 96 anos da Associação Portuguesa de Desportos. Como se já não bastasse a ameaça de ter o Estádio do Canindé leiloado, os seguintes rebaixamentos e uma dívida total calculada em R$ 200 milhões, a #Lusa está impedida de disputar qualquer campeonato organizado pela Federação Paulista de #Futebol (FPF). O pior é que o mesmo pode acontecer em breve com os torneios que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) coordena.

Num primeiro momento, a Portuguesa está impedida de disputar a Copa São Paulo de Juniores e a Série A-2 do Campeonato Paulista, em 2017.

A proibição foi determinada pelo TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) de São Paulo e é causada devido a uma dívida de aproximadamente R$ 14 mil, junto a FPF.

Publicidade
Publicidade

O único lado bom deste novo imbróglio financeiro que o clube se meteu é que basta pagar o valor devido para que a suspensão seja revertida.

A dívida é decorrente de diversas taxas, como a de arbitragem e de fiscalização, dos jogos da Lusa na Série A-2, que, na realidade, é a segunda divisão, do Paulistão de 2016.

Uma outra questão a ser resolvida é que a Portuguesa é, atualmente, considerada sem representação oficial junto à Federação, já que o presidente eleito em abril deste ano, José Luiz Ferreira de Almeida, nunca registrou a sua posse oficialmente na entidade que rege o futebol paulista. José Luiz assumiu o clube após a renúncia de Jorge Manuel Gonçalves, e também já renunciou ao cargo no começo de outubro. Por essa razão, a Lusa está sem qualquer representação junto a FPF, não podendo exercer o direito de voto nas reuniões da entidade essenciais para a disputa dos torneios, como decisões sobre a tabela e as regras dos torneios.

Publicidade

O clube também não pode participar de qualquer solenidade oficial promovida pela Federação.

Como se não bastasse, o clube está inadimplente junto a CBF por também não pagar taxas das partidas da Série C do Brasileirão de 2016. A regra é a mesma: se não pagar, a Lusa também estará suspensa pela Confederação das competições nacionais.

O presidente do Conselho Deliberativo e presidente interino da Portuguesa, Leandro Teixeira Duarte, garantia em entrevista para o UOL que as dívidas serão quitadas em breve: “Resolveremos nesta semana. O dinheiro já foi arrecadado e continuaremos as atividades normalmente”. #FutebolPaulista